UFSCar participa de evento para discutir ações de universidades brasileiras em relação a pessoas refugiadas

UFSCar discute ações para pessoas refugiadas em Encontro do Observatório de Responsabilidade Social das Universidades Brasileiras (Foto: Ascom/UFCSPA)

UFSCar discute ações para pessoas refugiadas em Encontro do Observatório de Responsabilidade Social das Universidades Brasileiras (Foto: Ascom/UFCSPA)

Nos dias 2 e 3 de junho, o Coordenador de Ingresso na Graduação da Pró-Reitoria de Graduação (ProGrad), Wagner de Souza Santos, representou a UFSCar no II Encontro do Observatório de Responsabilidade Social das Universidades Brasileiras (Orsub). O evento, vinculado ao Instituto Internacional de Educação Superior para a América Latina e Caribe (Iesalc) da Unesco, reuniu especialistas do Brasil e da América Latina para debater ações de responsabilidade social nas instituições brasileiras de Ensino Superior.

Santos integrou a mesa com o tema “Refugiados: ações de universidades brasileiras” ao lado de representantes da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS). O Coordenador apresentou o ingresso para pessoas refugiadas oferecido pela UFSCar, que cria uma vaga adicional em cada curso de graduação presencial e utiliza a nota do ENEM como critério de seleção. Ele relata que a mesa discutiu os desafios envolvidas na garantia de condições para que pessoas refugiadas ingressem no Ensino Superior e possam concluir seus cursos. “O Programa de Ações Afirmativas da UFSCar é sempre muito elogiado nesses encontros, pois ainda somos uma das poucas universidades a garantir reserva de vagas para o acesso de pessoas refugiadas. Durante as discussões, foi pontuada a importância simbólica da oferta de vagas para esse grupo, ainda que o desafio não se encerre na oferta”, conta Santos.

Desde 2009, quando teve início o ingresso específico para pessoas refugiadas, a UFSCar já recebeu 14 estudantes, e constantemente discute formas de otimizar e ampliar esse acesso. Em meados de maio, o Conselho de Graduação (CoG) da Universidade aprovou a possibilidade da candidata ou do candidato com status de pessoa em situação de refúgio (concedido pelo Comitê Nacional para os Refugiados do Ministério da Justiça) ter sua inscrição validada por três anos consecutivos, o que permite que se use a nota obtida na seleção para se candidatar, nos anos seguintes à realização da prova, a qualquer outro curso de graduação, presencial ou a distância, da Universidade.

Durante o evento, realizado na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), foi possível também estabelecer contatos com a coordenação do Observatório de Responsabilidade Social para América Latina e Caribe (Orsalc). A UFSCar foi convidada a relatar mais detalhadamente suas formas diferenciadas de acesso para indígenas e refugiados, e também as iniciativas de acompanhamento pedagógico específicas que promove.

 

Comentários desativados em UFSCar participa de evento para discutir ações de universidades brasileiras em relação a pessoas refugiadas

Filed under Equidade, Graduação

Comments are closed.