Série “EaD na UFSCar”: Elaboração e desenvolvimento de cursos e disciplinas exigem antecedência no planejamento, clareza e inovação nas propostas metodológicas

O sucesso e o reconhecimento do modelo de educação a distância (EaD) praticado pela UFSCar têm despertado cada vez mais a curiosidade da comunidade universitária e da sociedade em geral sobre quais são os pilares conceituais, metodológicos e práticos que norteiam o trabalho da Universidade nessa modalidade. Uma das perguntas mais comuns no que se refere ao modo UFSCar de praticar EaD diz respeito ao processo de elaboração e desenvolvimento dos cursos e disciplinas na modalidade a distância, que detalharemos nesta segunda reportagem da série voltada à apresentação do “jeito UFSCar” de concretizar a educação a distância.
Na UFSCar, a Secretaria Geral de Educação a Distância (SEaD) é a responsável por oferecer apoio na elaboração e desenvolvimento de cursos em EaD, sejam eles cursos de graduação, especialização, aperfeiçoamento, atualização, formação profissional continuada etc. Em um primeiro nível de planejamento, é necessário viabilizar os cursos técnica e financeiramente e consolidar um Projeto Pedagógico. Esse Projeto deve estar em consonância com o que expressa o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UFSCar, especialmente no que se refere ao caminho a ser seguido para a formação dos diferentes perfis profissionais. Isto significa que a educação a distância segue os mesmos parâmetros de qualidade dos cursos presenciais oferecidos pela Instituição.No que se refere ao planejamento pedagógico específico das disciplinas, o processo deve ser compreendido como a elaboração de uma “hipótese de trabalho”, uma tentativa de desenhar previamente os passos que deverão ser seguidos na atividade de ensino: quais conteúdos se pretende trabalhar, de que maneira e quais as respostas esperadas em relação à aprendizagem dos estudantes, dentre outros aspectos. É neste momento que o professor expressa e cria as diretrizes norteadoras da ação docente, que servem como parâmetro para sua própria atuação e para os tutores e como sinalizadores para o estudante do que se espera dele ao longo da disciplina.
Ao considerar o planejamento de uma disciplina nessa perspectiva, o professor tem elementos para fazer adequações e alterações no que inicialmente foi proposto, mesmo durante a sua oferta. Ou seja, a disciplina é acompanhada enquanto é oferecida aos estudantes, com o objetivo de permitir correções de rumo e aperfeiçoamentos, caso algo que foi pensado no início não esteja surtindo o resultado esperado ou a metodologia planejada não se mostre eficiente. Assim, é estabelecido um compromisso com a aprendizagem do aluno. Não basta ensinar, é preciso garantir o aprendizado.
A diferença do planejamento pedagógico em EaD é que ele precisa ser realizado com uma grande antecedência. No caso da UFSCar, um curso ou disciplina começam a ser planejados pelo menos um ano antes da data prevista para sua oferta, tendo em vista a necessidade de proposição cuidadosa de atividades virtuais e presenciais aos estudantes de acordo com os objetivos já determinados no Projeto Pedagógico e com as legislações que regem a EaD nos níveis nacional e institucional. A antecedência também se justifica pelo tempo de elaboração e produção de materiais didáticos e ferramentas de estudo em variados suportes e formatos inovadores. O Moodle, ambiente virtual de aprendizagem (AVA) utilizado pela UFSCar, permite a utilização de materiais em diferentes mídias. Assim, além dos textos escritos, é possível construir uma animação ou um mapa conceitual interativo, utilizar recursos online para a apresentação de uma linha do tempo sobre a temática abordada, vídeos etc.
Maria Angélica do Carmo Zanotto, supervisora de planejamento pedagógico da SEaD, afirma que outro diferencial da EaD na UFSCar é que todas as informações sobre a disciplina e as atividades a serem desenvolvidas no AVA são apresentadas aos alunos logo no início da trajetória de estudos: objetivos, metodologia e dinâmica das aulas, critérios de avaliação e parâmetros para a realização das atividades, orientações para a interação com os materiais de estudo, tempos estimados para a finalização das atividades e prazos previstos para a correção e para o feedback dos tutores. Todas essas informações, presentes no Guia da Disciplina, também orientam o trabalho dos tutores, responsáveis por apoiar tanto o professor quanto os estudantes no desenvolvimento dos processos de ensino e aprendizagem.

O modelo de tutoria
A UFSCar tem investido em um modelo de EaD que visa garantir o acompanhamento próximo dos estudantes pelos tutores virtuais e presenciais, cuja atuação afeta diretamente a qualidade dos processos de ensino e aprendizagem a distância.
O tutor presencial desenvolve um conjunto diversificado de atividades pedagógico-administrativas nos Polos de Apoio Presencial, prestando atendimento síncrono e local aos alunos. Já o tutor virtual desempenha tarefas relacionadas ao acompanhamento, orientação e avaliação do processo de aprendizagem dos estudantes ao longo de uma disciplina, no Ambiente Virtual de Aprendizagem. Responsável por um grupo de aproximadamente 25 alunos de uma única disciplina, cabe ao tutor virtual orientá-los no que se refere ao desenvolvimento dos conteúdos e atividades; auxiliar na solução de dúvidas; oferecer retorno das atividades e avaliações realizadas a distância, sempre em sintonia com o professor e com o que foi planejado para a disciplina. Além disso, o tutor virtual fornece elementos para o professor tomar decisões no tocante a alterações e adequações do que foi planejado durante a oferta da disciplina.
Alguns requisitos mínimos são exigidos para o desempenho da função de tutor: formação de nível Superior e experiência mínima de um ano no magistério dos ensinos Básico ou Superior, ou ter formação de pós-graduação ou estar vinculado a programa de pós-graduação. Outro critério para a seleção dos tutores é a formação específica na área de conhecimento da disciplina (no caso dos tutores virtuais) ou na área do curso (no caso dos tutores presenciais). Além disso, a SEaD oferece um curso de formação inicial que todos os tutores da Instituição devem realizar, obrigatoriamente, antes de iniciarem suas atividades, pois “entende-se que para desempenhar seu papel, o tutor precisa desenvolver certos saberes e habilidades relacionados à docência na modalidade a distância”, explica Ana Paula Rodrigues da Silva, supervisora de tutoria da SEaD.

Comentários desativados em Série “EaD na UFSCar”: Elaboração e desenvolvimento de cursos e disciplinas exigem antecedência no planejamento, clareza e inovação nas propostas metodológicas

Filed under Educação a distância

Comments are closed.