Informativo divulga práticas integrativas e educação popular no SUS

Documento destaca a importância dessas ações na saúde e foi produzido com apoio de docentes e estudante da UFSCar.

Dois docentes de Departamento de Metodologia de Ensino (DME), uma docente do Departamento de Medicina (DMed) e um estudante do curso de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) participaram da elaboração do informativo digital “O compromisso com a saúde em São Carlos: a importância das Práticas Integrativas e Complementares (PICS) e da Educação Popular em Saúde (EPS)”, lançado no início do mês.

Os profissionais fazem parte do projeto de pesquisa e extensão MAPEPS (Mapeamento de Práticas de Educação Popular em Saúde) e integram a Comissão Municipal de Práticas Integrativas e Complementares e da Educação Popular em Saúde (COMPICS & EPS).

O documento, elaborado pela COMPICS & EPS, apresenta uma série de informações para a comunidade sobre as PICS e EPS no Sistema Único de Saúde (SUS). “Reunimos informações sobre as PICS e EPS, detalhando alguns aspectos referentes a São Carlos, com o objetivo de informar a comunidade são-carlense do que são, de que forma as ações se integram ao SUS e como estamos em São Carlos em relação à implementação dessas duas políticas nacionais”, informou Maria Waldenez de Oliveira, professora sênior do Departamento de Metodologia de Ensino (DME/CECH) da UFSCar, integrante da Comissão Municipal e do MAPEPS-UFSCar.

O Programa de PICS e EPS está regulamentado na cidade em Lei Municipal dede 2018. É desenvolvido com o apoio da COMPICS & EPS, composta por representantes da sociedade civil, de instituições de ensino superior ou ensino profissional em saúde, de terapeutas de práticas integrativas, do terceiro setor e da rede municipal de saúde.

A Educação Popular em Saúde (EPS) é uma prática voltada para o trabalho do profissional de saúde que busca a valorização dos conhecimentos populares, das expressões culturais locais, da participação popular e ações coletivas.

Já as Práticas Integrativas e Complementares colaboram na promoção do cuidado, na prevenção de doenças e agravos, e na redução de sintomas físicos e mentais de forma complementar ao tratamento convencional. A Política Nacional de PICS prevê a possibilidade de oferta pelo SUS, de forma integral e gratuita, de 29 PICS à população.

No contexto de pandemia de COVID-19, as PICs são importantes ferramentas para cuidar de profissionais de saúde e da população em geral. Assim como a EPS, no que se refere à organização de ações junto às comunidades, potencializando o trabalho na Atenção Básica.

Integram a Comissão Municipal: Iraí Maria de Campos Teixeira e Maria Waldenez de Oliveira, docentes do DME; Renata de Cássia Gonçalves, do DMed, e Luís Carlos Pereira Tarley, estudante do curso de Terapia Ocupacional. O informativo “Compromisso com a saúde em São Carlos: a importância das Práticas Integrativas e Complementares e da Educação Popular em Saúde” pode ser consultado no link.

MAPEPS – O Mapeamento de Práticas de Educação Popular em Saúde promove processos de Educação Popular e Saúde por meio do diálogo e da troca entre práticas e saberes populares e técnico-científicos no âmbito do SUS e da Universidade, aproximando os sujeitos da gestão, dos serviços de saúde, dos movimentos sociais populares, das práticas populares de cuidado e das instituições formadoras. Para mais informações sobre o Programa MAPESP.

Em 2019, evento contou com a participação do Vice-Reitor da UFSCar, Walter Libardi.

Leave a Comment

Filed under Extensão, Gestão, Saúde

Comments are closed.