Campus Lagoa do Sino realiza semana para discutir metodologias de ensino e recepcionar novos docentes

A Divisão de Desenvolvimento Pedagógico (DiDPed) da Pró-Reitoria de Graduação (ProGrad), em parceria com a Coordenação Pedagógica e a Direção do Centro de Ciências da Natureza (CCN), realizou a Semana de Organização do Ano Letivo do Campus Lagoa do Sino da UFSCar, na semana que antecedeu o início das aulas na Universidade. O evento contou com a participação dos 30 docentes do Campus, entre eles 10 recém-chegados, que puderam conhecer a estrutura da Universidade e as experiências acumuladas ao longo do primeiro ano de funcionamento do Campus.

ls_saladeaula

Semana teve apresentação de metodologias e ferramentas de ensino e reflexões sobre a concepção, história e identidade do Campus Lagoa do Sino (Crédito: Tiago Santi / Campus Lagoa do Sino)

 

O objetivo principal do encontro foi discutir metodologias de ensino para os cursos do CCN, que se pautam no diálogo com a realidade regional. A Coordenação Pedagógica realiza o acompanhamento dos cursos em reuniões ao longo de todo o ano e, nesse processo, identificou a demanda por um momento de reflexão sobre as metodologias, de forma a contribuir para a organização das atividades do ano de 2015. Partindo desse cenário, foi organizada uma programação com apresentação de metodologias e ferramentas de ensino e reflexões sobre a concepção, história e identidade do Campus Lagoa do Sino. Essas reflexões subsidiaram as avaliações dos docentes sobre os desafios que o CCN enfrenta após o primeiro ano de atividades, bem como a elaboração do planejamento do ano letivo, que teve início com a divisão dos docentes em grupos, acompanhados pela equipe da DiDPED e liderados pelas coordenações de cursos.

Daniel Baron, docente recém-chegado ao CCN, comenta o primeiro contato com o Campus e destaca as reflexões feitas durante a Semana. “Foi bastante interessante ter a oportunidade de entender as experiências que meus colegas viveram no primeiro ano de atividades do Campus. Foi bastante esclarecedor conhecer novas metodologias, e isso nos dá a oportunidade de refletir sobre as formas de ensino. A partir disso, podemos pensar em quais rotas queremos manter e quais queremos alterar. São dúvidas boas de pensar junto com os colegas”, avalia o docente.

A ProGrad, por meio da DiDPed, continuará promovendo o acompanhamento pedagógico dos cursos, com visitas quinzenais ao Campus Lagoa do Sino. Andreia Pereira Matos, Coordenadora do curso de Engenharia Ambiental, explica que o momento do planejamento é fundamental para trabalhar as metodologias de ensino, dadas as especificidades do Campus. “Nós ansiávamos entender melhor novas metodologias de ensino, queríamos conhecer novas formas de trabalhar com os nossos alunos. Vimos algumas coisas interessantes, e ainda temos dificuldades para aplicar o que foi visto. Por isso, o apoio pedagógico é de extrema importância nesse caminho, na busca por algo que seja capaz de manter os nossos alunos cada vez mais estimulados a aprender, que faça essa ligação entre o que vemos na nossa realidade e o que aprendemos. Ainda temos muito para caminhar, mas já conseguimos pensar em atividades integradoras que unem tudo o que discutimos”, avalia a docente.

Organização pedagógica

A organização dos três cursos do CCN – Engenharia Agronômica, Engenharia Ambiental e Engenharia de Alimentos – foi formulada a partir de conceitos-chave e eixos temáticos. O Campus possui 10 conceitos-chave e cada curso possui cinco, baseados nos três eixos principais que regem o Campus: Desenvolvimento Sustentável Territorial (que significa, em linhas gerais, justamente o compromisso com a realidade regional); Soberania e Segurança Alimentar; e Agricultura Familiar. As coincidências entre os conceitos permitem, ainda, o diálogo entre os cursos e a consolidação dos objetivos do Campus.

A integração dos eixos – compostos por conteúdos necessários para a formação profissional, em consonância com a realidade regional – culmina nas chamadas “avaliações integradoras” que, por sua vez, permitem que o estudante articule os conhecimentos dos eixos diante de um problema posto, em uma situação prática, promovendo a transversalidade dos eixos. Há também os eventos disparadores de aprendizagem, momentos nos quais os estudantes aplicam os conteúdos apreendidos em cada eixo, também em uma situação prática, estimulando a articulação dos conhecimentos. Todo esse processo contribui também para a relação intrínseca com a extensão, uma vez que há o trabalho constante com a comunidade, nas diversas formas de atividades práticas, bem como na seleção dos problemas a serem pensados.

Os conteúdos são trabalhados de forma não fragmentada, e sim integral, não sendo desmembrados em disciplinas. Dessa forma, os conteúdos básicos são continuamente retomados e aprofundados nos eixos temáticos ao longo dos anos, de acordo com as necessidades postas pelos conhecimentos trabalhados em cada eixo ou ano. Além disso, as formações profissional e básica são conjugadas desde o início do curso, como explica Meire Moreira Cordeiro, Diretora da DiDPed. “É uma forma diferente de organização curricular, que valoriza a necessidade de compreender o todo para resolver problemas. Preconiza-se a formação de um profissional bastante completo, que aprende a relacionar conceitos desde o primeiro ano de curso, para um mundo que nos coloca em situações cada vez mais complexas. Os eixos contam com a participação de mais de um professor, e a coordenação de curso é responsável pelo planejamento anual dessas ações, baseada nos aprendizados dos anos anteriores e nas relações intra-eixos.”

Calourada Tropeira

Na semana seguinte ao encontro entre os docentes, chegou a hora de recepcionar os novos estudantes. Para tanto, uma comissão responsável pelas atividades de Calourada do Campus Lagoa do Sino, em parceria com a Secretaria Municipal de Turismo de Campina do Monte Alegre, cidade mais próxima do acesso ao Campus, organizou atividades para apresentar e celebrar a cultura tropeira da região. Os estudantes puderam conhecer as tradições dos tropeiros através da comida típica, o feijão tropeiro, preparado e servido na recepção; das mulas usadas para transporte; e da música das modas de viola. O evento foi tema de uma reportagem da TV local, que pode ser vista no site da emissora.

Os estudantes também foram recebidos pela Prefeitura Municipal de Buri, cidade sede do Campus, com um jantar de boas vindas. A programação contou também com visitas a empresas da região.

Comentários desativados em Campus Lagoa do Sino realiza semana para discutir metodologias de ensino e recepcionar novos docentes

Filed under Graduação

Comments are closed.