Como medir o desempenho e o impacto da universidade?

Docentes e técnico-administrativos da UFSCar concluem curso sobre indicadores de desempenho institucional e acadêmico

A reitora Wanda Hoffmann, três docentes e três técnico-administrativos da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) participaram na última quarta-feira (02), da cerimônia virtual de entrega de certificados do 1º Curso de Atualização “Métricas de Desempenho Acadêmico e Comparações Internacionais”, promovido pela Universidade de São Paulo (USP).

O curso faz parte do projeto Metricas.edu e é liderado pelo ex-reitor da USP e professor sênior da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA-USP), Jacques Marcovitch. Discute a performance acadêmica e o impacto social das universidades públicas paulistas, além de estudar e analisar criticamente os indicadores de desempenho institucional e acadêmico nas comparações nacionais e internacionais.

“Muitas vezes, os índices não refletem a realidade da Universidade. E são justamente eles que auxiliam na leitura do ambiente de atuação da instituição, possibilitando o planejamento, implementação e avaliação de políticas e estratégias, que visam a melhoria do desempenho do seu projeto institucional”, afirmou a reitora Wanda Hoffmann.

Financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), o Metrica.edu conta com a parceria do Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp) e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de São Paulo.

A primeira turma contou com a participação de 80 profissionais ligados a universidades públicas e privadas, seis deles da UFSCar – os docentes Cláudia Buttarello Gentile Moussa (Departamento de Matemática), Ignez Caracelli (Departamento de Física) e Roniberto Morato do Amaral (Departamento de Ciência da Informação) e os técnico-administrativos Denilson de Oliveira Sarvo (Divisão de Tecnologia), Marisa Cubas Lozano (Departamento de Referência) e Mesailde Souza de Oliveira Matias (Coordenadoria de Sistemas de Informação).

Com 60h de carga-horária, o curso foi organizado em 9 módulos e oferecido entre os meses de março a novembro de 2020. “O curso de Métricas permitiu entender como funcionam os rankings das Universidades. Foi possível analisar com mais profundidade o que significa obter um índice nestes rankings (THE, QS, RUF, entre outros)”, comentou Ignez Caracelli, docente do Departamento de Física (DF) e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia (PPGBiotec).

Segundo a docente também foi possível perceber como a UFSCar pode trabalhar melhor seus índices. “Alguns encaminhamentos poderiam ser dados para que a Universidade tivesse mais destaque e assim planejar o futuro. Até mesmo sugerindo indicadores para o ranking onde a UFSCar está estabelecida como precursora, e/ou em áreas nas quais já tem destaque”, explicou.

Para Roniberto Morato do Amaral, docente do Departamento de Ciência da Informação (DCI) e diretor do Sistema Integrado de Bibliotecas, “o maior desafio das métricas está em avaliar o impacto social da universidade, compreendendo a sua contribuição à formação de recursos humanos, ao avanço científico, à inovação tecnológica e ao empreendedorismo, além de hospitais, laboratórios, museus, teatros e serviços de extensão à comunidade”, informou.

Segundo ele, é preciso investir na elaboração de indicadores de desempenho institucional e na divulgação científica. “Os indicadores são instrumentos reflexivos sobre as relações entre ciência, tecnologia e sociedade e como ferramenta de emancipação do cidadão. A apropriação desses indicadores contribuirá para legitimar a atuação das universidades”, contou Roniberto.

Na UFSCar, o curso já está gerando frutos. Os participantes estão envolvidos na criação de uma base de dados referencial, compreendendo toda a produção científica e tecnológica da UFSCar. Essa base, servirá no futuro, como a principal fonte de informação para a elaboração de indicadores institucionais da comunidade UFSCar. O grupo também formulou uma proposta para a criação da Unidade de Gestão de Dados/Unidade de Inteligência Acadêmica para a gestão de dados institucionais, o enriquecimento com dados externos de outras instituições e a elaboração e análise de indicadores legítimos ao desenvolvimento do projeto institucional da UFSCar.

“Muitas vezes os dados estão disponíveis, mas espalhados e não conectados. É imprescindível disponibilizar as informações de forma sistemática e ampla, em um espaço definido”, completa Ignez Caracelli.

Também participaram da cerimônia os reitores Vahan Agopyan (USP), Marcelo Knobel (Unicamp), Sandro Valentini (UNESP) e Soraya Smaili (UNIFESP).

Foto: Reprodução-Jornal da USP

Foto: Reprodução-Jornal da USP

Arquivado em Acesso à informação, Avaliação, Eventos, Gestão

UFSCar busca continuidade de apoio a estudantes na pandemia

Renovação de Benefício será discutida pelo Conselho de Assuntos Comunitários e Estudantis (CoACE) na próxima terça (08)

As aulas remotas trouxeram à tona novas necessidades no que se refere ao apoio à permanência estudantil. Além do Edital de Apoio à Inclusão Digital, dentre outras ações da Universidade, o Benefício de Suporte à Permanência (BSP) foi aprovado pelo Conselho de Assuntos Comunitários e Estudantis (CoACE) em 18 de agosto de 2020 e prevê a concessão de 520 auxílios.

Puderam se inscrever para o edital estudantes que já não fossem atendidos pelo Programa de Apoio à Permanência (PAE) da UFSCar, uma vez que os benefícios deste Programa foram mantidos durante a pandemia. Como a vigência do Benefício de Suporte à Permanência (BSP) termina junto ao atual período de aulas remotas, sua renovação precisa ser discutida.

Continuidade das ações – Nesta terça-feira (08 de dezembro), o Conselho de Assuntos Comunitários e Estudantis (CoACE) irá discutir a prorrogação da Resolução CoACE nº 15, de 20 de agosto de 2020. A partir desta decisão várias ações institucionais poderão ser disparadas, o que permitirá a continuidade do Benefício de Suporte à Permanência (BSP), dentre outros.

No contexto da pandemia, este Benefício não requer que o estudante esteja na cidade do campus. O valor é depositado diretamente em conta corrente dos estudantes aprovados pelo Edital, os quais devem se enquadrar nos critérios do Plano Nacional de Assistência Estudantil (PNAES).

Para a Pró-Reitora, Profª. Drª. Andrea Fuentes, a discussão junto ao CoACE é necessária. “As políticas de permanência precisam ser debatidas e construídas de maneira plural para que reflitam as necessidades da comunidade UFSCar. A Universidade precisa acolher, cuidar e apoiar seus estudantes em todo o tempo, principalmente neste período de incertezas diante da pandemia”, finaliza a Pró-Reitora.

Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis da UFSCar (Foto: Reitoria UFSCar)

 

Arquivado em Assuntos Comunitários e Estudantis, Conselhos, COVID-19, Permanência

UFSCar reforma e destina espaço a atividades artísticas e esportivas

Arte, dança, esporte, ginástica, jogos e lutas são algumas das atividades que poderão ocorrer no “Espaço de Cultura Corporal”

 

O “Espaço de Cultura Corporal” da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) foi planejado para reunir atividades culturais, esportivas, de lazer e práticas corporais. Espaço amplo, situa-se do lado de fora do campus de São Carlos, em área pertencente à Universidade que fica próxima à entrada da Área Sul.

A destinação do espaço foi proposta por uma comissão multidisciplinar que trabalha desde 2018 neste planejamento. A proposta foi apresentada à Reitoria da Universidade e aceita. Então, a Pró-Reitoria de Administração (ProAd) e a Prefeitura Universitária (PU) iniciaram as reformas e adequações.

Atividades no Espaço – Serão contempladas novas atividades e aquelas que já acontecem, mas em ambientes inapropriados. “As equipes do Cheerleading e do Tênis de Mesa, por exemplo, precisam alugar um espaço fora da Universidade para seus treinos”, conta a Profa. Dra. Ana Cláudia Duarte, coordenadora da proposta e docente do Departamento de Educação Física e Motricidade Humana (DEFMH) da UFSCar.

“As modalidades de lutas e atividades como Yoga, Danças Circulares e Teatro não têm espaço previsto na Universidade”, complementa a Professora Ana Cláudia Duarte. Projetos como estes poderão ter continuidade no Espaço de Cultura Corporal. O Espaço de Cultura Corporal deverá ficar pronto para uso até o final deste ano.

A Bateria UFSCar também terá lugar garantido. Os membros já ensaiaram no local, anteriormente. Agora, com as melhorias, terão maior segurança e infraestrutura para ensaiar e guardar seus instrumentos. Já foram aprovisionadas luz, água, vigilância, câmeras e internet.

O Espaço é de todos. Com condições adequadas de uso, estudantes, técnico-administrativos, docentes e a comunidade externa poderão, efetivamente, utilizá-lo com segurança. É uma grande conquista para a UFSCar que foi viabilizada pelo trabalho de diversas pessoas, às quais agradeço e parabenizo”, afirma a Reitora da Universidade, Profa. Dra. Wanda Hoffmann.

A Pró-Reitoria de Administração (ProAd) também investiu na recuperação de 15 equipamentos entre esteiras e bicicletas ergométricas, além de uma cama elástica. Os equipamentos serão alocados no Espaço quando a reforma estiver finalizada.

Espaço de Cultura Corporal da UFSCar (Foto: Reitoria UFSCar)

Arquivado em Assuntos Comunitários e Estudantis, Espaço físico, Extensão, Gestão, Infraestrutura, Segurança

[Portaria GR Nº 4646/2020] Estabelece o recesso natalino para comemoração das festas de final de ano

A REITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS, no uso das atribuições legais e estatutárias que lhe foram conferidas pelo art. 4º do Estatuto da FUFSCar, aprovado pela Portaria MEC nº 1161, de 04/07/1991, publicada no DOU de 05/07/1991 e pelo art. 27 do Estatuto da UFSCar, aprovado pela portaria SESu/MEC nº 984, de 29/11/2007, publicada no DOU de 30/11/2007, e

CONSIDERANDO a Portaria SGP/SEDGG/ME nª 22.899, de 28 de outubro de 2020, que estabelece orientações aos órgãos e entidades integrantes da Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional, acerca do recesso para comemoração das festas de final de ano.

RESOLVE:

Art. 1º – Estabelecer o recesso natalino para os campi da UFSCar, nos períodos de 21 a 24 de dezembro de 2020 e de 28 a 31 de dezembro de 2020, preservados os serviços essenciais.

Art. 2º – O recesso deverá ser compensado, na forma do inciso II, do art. 44, da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, e da Instrução Normativa SGP/ME no 2, de 12 de setembro de 2018, contado o prazo para a compensação das horas não trabalhadas da seguinte forma:

I – para os servidores que exercem as suas atividades presencialmente, a compensação começará a ser contada a partir da data de publicação desta Portaria no Boletim de Serviço Eletrônico, com término em 31 de maio de 2021;

II – para os servidores que estão em trabalho remoto na data de publicação desta portaria, por força de medidas de proteção para o enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente da COVID-19, o recesso deverá ser compensado a partir do retorno ao trabalho presencial, com término em 31 de maio de 2021 ou em até três meses após o retorno, o que for maior.

Parágrafo único – O servidor que não compensar as horas usufruídas em razão do recesso sofrerá desconto na sua remuneração, proporcionalmente às horas não compensadas.


Art. 3º – 
Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação no Boletim de Serviço Eletrônico.

Profa. Dra. Wanda Aparecida Machado Hoffmann
Reitora

Arquivado em Efemérides, Legislação e normas

UFSCar deve terminar 2020 com orçamento equilibrado

A projeção foi apresentada ao Conselho de Administração (CoAd) pelo Pró-Reitor de Administração da Universidade.

 

Pró-Reitor de Administração da UFSCar, Prof. Dr. Márcio Merino Fernandes, apresentou um resumo da situação orçamentária da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) para os principais grupos de despesa que impactam diretamente no dia a dia da Instituição. A apresentação foi feita para o Conselho de Administração (CoAd) em sua última reunião.

O orçamento da UFSCar está totalmente equilibrado no exercício 2020, não havendo nenhuma indicação da necessidade de reconhecimento de débito em 2021 para despesas executadas em 2020 sem suporte orçamentário”, explica o Pró-Reitor de Administração. “O ano de 2021 deve se iniciar sem nenhum débito referente a 2020”, completa.

Os dados foram extraídos, no final do mês de outubro, do Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento (SIOP), utilizado pelas unidades vinculadas ao Governo Federal.

Para a Reitora da UFSCar, Profa. Dra. Wanda Hoffmann, a importância dada à esfera administrativa se reflete em toda Universidade. “Se iniciamos um ano com dívidas, temos dificuldade para manter serviços essenciais da Instituição. Quando começamos nossa gestão, no ano de 2016, a UFSCar tinha uma dívida de cerca de R$ 5 milhões. Aos poucos zeramos este déficit e, com muito trabalho, hoje temos um orçamento equilibrado”, finaliza a Reitora.

O relatório completo pode ser acessado aqui.

Arquivado em Acesso à informação, Compras, Conselhos, Gestão