UFSCar lança o Guardiões da Saúde e implementa a estratégia de vigilância participativa em saúde na Universidade

Imagem de uma mão segurando o celular com o aplicativo do Guardiões da Saúde na tela

Aplicativo é uma estratégia de cuidado que conta com a contribuição voluntária da comunidade (Divulgação)

Guardiões da Saúde (GdS) é o nome do aplicativo que a UFSCar acaba de lançar para a implementação da sua estratégia de vigilância ativa e participativa em saúde. O objetivo dessa estratégia é proteger a comunidade universitária da Covid-19 e garantir o avanço seguro das fases do Plano de Retomada das Atividades Presenciais.

“O lançamento do Guardiões da Saúde é um passo essencial para o enfrentamento da pandemia. Juntamente com as ações do Grupo de Trabalho Retorno, que está atuando para preparar os espaços físicos da Universidade com base nos protocolos sanitários, para receber a nossa comunidade, o Guardiões da Saúde vai permitir à comunidade o retorno seguro e efetivo”, disse a Vice-Reitora e Presidente do Comitê Gestor da Pandemia (CGP), Maria de Jesus Dutra dos Reis.

Lançado nesta terça-feira (19/10), na edição #33 do programa Na Pauta, que pode ser conferida na íntegra nos canais UFSCar Oficial no YouTube e Facebook, o Guardiões da Saúde é uma estratégia de cuidado que conta com a contribuição voluntária da comunidade universitária para o monitoramento da Covid-19 nos campi da UFSCar, a partir do informe diário, pelo aplicativo, do estado de saúde da pessoa. Por meio do GdS, as pessoas reportam seu estado de saúde, com total sigilo dos dados, permitindo o acompanhamento pela equipe de profissionais de saúde da Vigilância Epidemiológica da UFSCar e o controle interno da pandemia.

Idealizado pela Associação Brasileira de Profissionais de Epidemiologia de Campo (ProEpi) e desenvolvido pelo Ministério da Saúde em 2007, o GdS já foi utilizado para monitorar grandes eventos no território brasileiro, como, por exemplo, a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos no Rio de Janeiro, em 2016. Em 2020, ele foi reformulado para auxiliar na elaboração de soluções frente à Covid-19 e, desde então, tem sido utilizado com sucesso por diferentes instituições, como a Universidade de Brasília (UnB).

Como o GdS funciona? – O aplicativo funciona como um calendário, em que diariamente as pessoas reportam o seu estado de saúde, atuando de forma participativa em prol da vigilância. O usuário responde à pergunta “Como você está se sentindo?” e, quando o usuário reporta estar “bem”, se sua localização estiver ativa, gera um status “verde” para sua área. Além da informação estatística, nenhuma outra ação é realizada. Se a resposta for “mal”, o GdS oferece alternativas de sinais e sintomas que se relacionam à síndrome gripal, abarcando sinais de gravidade.
A partir da informação dos sintomas, o aplicativo gera um status “vermelho” na localização e oferece orientações básicas sobre a busca de serviços de saúde em sua localidade, também envia uma notificação automática sobre a ocorrência de “pessoa com sintomas” para o e-mail institucional da equipe do Grupo Técnico de Vigilância Epidemiológica da UFSCar, gerando então um “caso suspeito”. A privacidade dos dados dos usuários é totalmente garantida.

Por que participar? – Participar do GdS é uma forma de proteção individual e coletiva que será fundamental para bloquear a transmissão interna da Covid-19 e avançar nas fases do Plano de Retomada das Atividades Presenciais na UFSCar. Ao participar do GdS, a equipe de vigilância em saúde da Universidade terá uma comunicação mais direta com a comunidade, podendo auxiliar nas orientações e cuidados com a saúde e atuar de forma mais ágil e precisa no controle interno da pandemia, evitando as subnotificações e auxiliando na otimização e eficácia da testagem.

Segurança e sigilo – O GdS é um aplicativo gratuito para dispositivos móveis (Android e IOS) que atende a todos os requisitos de segurança da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) e foi aprovado pelo Comitê de Governança Digital da UFSCar. Ele conta com a adoção estratégica dos softwares livres (open source), sempre visando à segurança da informação, governança de dados e sustentabilidade.

Ao aderir ao projeto, a UFSCar tornou-se gestora dos dados gerados pelo aplicativo, relativos especificamente aos usuários que declararem o seu vínculo com a Universidade, através da formalização de Termo de Cessão de Direito de Uso de Aplicativo Guardiões da Saúde, assinado entre a UFSCar e a ProEpi, após extensa análise técnica e jurídica. Desse modo, fica garantido que é a UFSCar que atua na guarda e proteção de dados gerados pelo GdS, quando utilizado por membros da Universidade, e ainda que pode influenciar no desenvolvimento do aplicativo.

Como a estratégia do GdS trabalha com o conceito de Vigilância Participativa, os dados do usuário serão compartilhados apenas com os profissionais de saúde que atuam no Grupo Técnico de Vigilância Epidemiológica da UFSCar e serão usados, exclusivamente, para orientar as ações de vigilância, cuidado individual e coletivo da comunidade.

Na página do Vencendo a Covid-19, na aba Vigilância, seção Estratégia Guardiões da Saúde, é possível encontrar todas as informações sobre o aplicativo, bem como os tutoriais para a sua utilização. Para aderir ao projeto, basta acessar a loja de aplicativos no seu celular, buscar por Guardiões da Saúde e fazer o download gratuito. Confira e ajude a cuidar da sua saúde e de toda a Universidade!

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em COVID-19, Gestão