Reitora segue na mobilização em Brasília pela recomposição orçamentária da UFSCar

Dirigentes das instituições de e ensino e parlamentares em reunião

Encontro dos dirigentes foi com todas as frentes parlamentares ligadas ao tema da Educação (Divulgação)

A Reitora Ana Beatriz de Oliveira segue na mobilização, juntamente com dirigentes das Instituições Federais de Ensino Técnico e Superior do Estado de São Paulo, pela recomposição dos orçamentos de 2020 e 2021. Na última semana, ela participou de mais uma rodada de reuniões em Brasília, agendadas a partir dos desdobramentos do encontro com a senadora Rose de Freitas (MDB), presidente da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização do Congresso Nacional, e com os deputados federais, Paulo Teixeira (PT) e Alexandre Leite (DEM), coordenador da Bancada Paulista no Congresso.

Na última semana, o encontro dos dirigentes foi com todas as frentes parlamentares ligadas ao tema da Educação, para que pudessem auxiliar na defesa da pauta pela recomposição do orçamento para este ano e para 2022. Na sequência, a senadora Rose já tratou da pauta com os ministros da Educação e Economia. O próximo encontro dos dirigentes das universidades está previsto para ocorrer em 6/10, também em Brasília, com o senador Wellington Fagundes (PL), relator setorial das receitas e despesas de 2022 da Educação.

Os Reitores e Reitoras do Estado de São Paulo também se reuniram na Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) para a elaboração de um documento que foi entregue à bancada paulista solicitando recursos para investimentos em infraestrutura.

“Estamos atuando em duas frentes. Uma focada nas articulações de reivindicação de emendas parlamentares para as universidades federais e para o Instituto Federal de São Paulo, com o intuito de nos auxiliar com recursos de investimento, tendo em vista os significativos cortes no orçamento anual; e a outra na recomposição do orçamento de 2021 em R$ 1 bilhão para todas as instituições e de 2022, para que seja nos patamares do de 2019, com correção pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)”, explicou a Reitora.

Sobre os resultados dessas iniciativas, Oliveira destacou que têm sido positivos e prova disso são os avanços nas discussões e o envolvimento dos parlamentares.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Gestão