Comitê Gestor Emergencial inicia debate para a implementação de estratégias permanentes para a proteção das áreas verdes

Imagem de reunião no goolge meet com a Reitora em destaque na tela

Reitora presidiu a reunião que contou com debate sobre as estratégias de preservação e recuperação das áreas verdes (Reprodução)

O Comitê Gestor Emergencial para as áreas de vegetação nos campi da UFSCar realizou, na última quarta-feira (29/9), sua primeira reunião aberta à comunidade interna e externa da UFSCar. Dentre os temas abordados pela Reitora Ana Beatriz de Oliveira, que presidiu a reunião, estavam a proposta de plano de trabalho do Comitê e o início do debate sobre as estratégias futuras para a ampliação das estratégias de restauração, prevenção e promoção das áreas de vegetação dos campi.

Além dos integrantes do Comitê, participaram da reunião representantes da comunidade externa e dos poderes executivo e legislativo de São Carlos. “Essa reunião aberta é importante para que possamos, com o conhecimento, experiência e contribuição dos participantes, pensar em estratégias robustas para aprimorar as ações que o Comitê já está trabalhando e, principalmente, atuar de forma coletiva nas ações de prevenção e promoção das áreas de vegetação dos campi”, disse a Reitora.

Após apresentação da Secretaria Geral de Gestão Ambiental e Sustentabilidade (SGAS) sobre as ações desenvolvidas pela UFSCar no que diz respeito à conservação, manejo, restauração ecológica e regulamentação de uso das áreas naturais da Universidade, os participantes da reunião apresentaram seus apontamentos e sugestões para a recuperação das áreas atingidas pelo incêndio e para a prevenção contra incêndio.

A partir da reunião, que contou com a participação do Diretor do Departamento de Gestão Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de São Carlos, Matheus Gonçalves dos Reis, espera-se atuação mais integrada entre a UFSCar e a Prefeitura Municipal de São Carlos, com base em parcerias para o desenvolvimento de projetos de manutenção das áreas de preservação e de educação ambiental. As discussões devem subsidiar a proposta das próximas ações, que envolvem debates sobre os temas suscitados na reunião.

“Os apontamentos e informações compartilhadas pelos participantes foram muito relevantes e servirão para colocarmos em prática os próximos passos. A ideia é que essas pessoas que participaram possam contribuir de forma longitudinal com o Comitê, que estará sempre aberto para incorporar novos parceiros e colaboradores”, acrescentou Oliveira.

Deixe um comentário

Arquivado em Gestão, Gestão ambiental