UFSCar participa de projeto piloto que utiliza inteligência artificial para reduzir a evasão no Ensino Superior

Logo Pró-Reitoria de Graduação

Pró-Reitoria de Graduação coordena o projeto na UFSCar (Divulgacão)

A UFSCar, através da Pró-Reitoria de Graduação (ProGrad), é uma das seis Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) que participam de um projeto piloto que utiliza inteligência artificial como ferramenta para reduzir a evasão no Ensino Superior, o “Inteligência Artificial para Auxílio de Ações que Visam à Redução da Evasão no Ensino Superior”.

O projeto foi desenvolvido pelo Centro de Excelência em Inteligência Artificial (Ceia) da Universidade Federal de Goias (UFG), em parceria com a Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação (Sesu/MEC). A ação inclui também as Universidades Federais de Itajubá (UNIFEI), do Pampa (UNIPAMPA), do Pará (UFPA) e a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA).

“Com essa iniciativa, damos um passo significativo para a modernização dos nossos processos, tão necessária no momento atual em que as atividades remotas ganharam protagonismo. Essa tecnologia fará muita diferença na redução da evasão, vai nos auxiliar a identificar o que motiva esse movimento e a aprimorar processos e outros pontos que eventualmente forem identificados pelo sistema”, comenta o Pró-Reitor de Graduação da UFSCar, Daniel Leiva.

Com o uso de tecnologias digitais, o projeto permite identificar, com antecedência, sinais comportamentais dos estudantes que indiquem uma possível evasão e, a partir disso, orientar ações preventivas e de apoio a serem realizadas pelos professores e demais profissionais envolvidos com os estudantes.

Dentre as ferramentas tecnológicas desenvolvidas pela UFG, estão a construção do modelo de inteligência artificial preditiva e a criação de assistente inteligente para comunicação com os alunos.

A partir de dados de comportamento, perfil e desempenho dos estudantes, a inteligência artificial é capaz de fazer um prognóstico do que vai acontecer em um futuro próximo, utilizando informações como notas, cursos, disciplinas, frequência, estágios, entre outras.

Com o prognóstico traçado, o assistente inteligente para comunicação é acionado e inicia um bate-papo virtual com o aluno para entender suas necessidades e problemáticas. Nesta fase experimental, participam do projeto na UFSCar os cursos de Ciência da Computação e Pedagogia do Campus São Carlos e o de Ciências Biológicas do Campus Araras.

Na UFSCar, o projeto é desenvolvido em parceria com a Secretaria Geral de Informática (SIn), que tem utilizado sua experiência interna no uso de tecnologia para redução da evasão neste projeto piloto, e coordenado pelas professoras Cleonice Maria Tomazzetti, do Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas (DTPP) e Secretária Geral da Educação a Distância (SEaD), e Marcela Xavier Ribeiro, do Departamento de Computação (DC). As docentes explicam que as atividades tiveram início em 2020 com o levantamento de dados para traçar o perfil dos estudantes e os indicativos de evasão dos últimos dez anos.

“As informações dos cursos que são indicativas de evasão estarão em uma só plataforma, permitindo uma atuação ágil e precisa, pois, ao primeiro sinal de uma possível evasão, a coordenação do curso será notificada e vai entrar em contato com o estudante para entender o que está acontecendo com ele e dar o suporte necessário para que ele permaneça na Universidade. A ferramenta também irá contribuir com a melhoria contínua dos processos da Universidade em ensino, pesquisa e extensão”, explica Tomazzetti.

No momento, os dados dos cursos que participam da fase piloto na UFSCar estão sendo levantados para abastecer o sistema desenvolvido pelo Ceia, e a expectativa é que a ferramenta entre em funcionamento experimental no ano que vem.

Deixe um comentário

Arquivado em Educação a distância, Graduação