Daily Archives: 21 de agosto de 2020

Informativo divulga práticas integrativas e educação popular no SUS

Documento destaca a importância dessas ações na saúde e foi produzido com apoio de docentes e estudante da UFSCar.

Dois docentes de Departamento de Metodologia de Ensino (DME), uma docente do Departamento de Medicina (DMed) e um estudante do curso de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) participaram da elaboração do informativo digital “O compromisso com a saúde em São Carlos: a importância das Práticas Integrativas e Complementares (PICS) e da Educação Popular em Saúde (EPS)”, lançado no início do mês.

Os profissionais fazem parte do projeto de pesquisa e extensão MAPEPS (Mapeamento de Práticas de Educação Popular em Saúde) e integram a Comissão Municipal de Práticas Integrativas e Complementares e da Educação Popular em Saúde (COMPICS & EPS).

O documento, elaborado pela COMPICS & EPS, apresenta uma série de informações para a comunidade sobre as PICS e EPS no Sistema Único de Saúde (SUS). “Reunimos informações sobre as PICS e EPS, detalhando alguns aspectos referentes a São Carlos, com o objetivo de informar a comunidade são-carlense do que são, de que forma as ações se integram ao SUS e como estamos em São Carlos em relação à implementação dessas duas políticas nacionais”, informou Maria Waldenez de Oliveira, professora sênior do Departamento de Metodologia de Ensino (DME/CECH) da UFSCar, integrante da Comissão Municipal e do MAPEPS-UFSCar.

O Programa de PICS e EPS está regulamentado na cidade em Lei Municipal dede 2018. É desenvolvido com o apoio da COMPICS & EPS, composta por representantes da sociedade civil, de instituições de ensino superior ou ensino profissional em saúde, de terapeutas de práticas integrativas, do terceiro setor e da rede municipal de saúde.

A Educação Popular em Saúde (EPS) é uma prática voltada para o trabalho do profissional de saúde que busca a valorização dos conhecimentos populares, das expressões culturais locais, da participação popular e ações coletivas.

Já as Práticas Integrativas e Complementares colaboram na promoção do cuidado, na prevenção de doenças e agravos, e na redução de sintomas físicos e mentais de forma complementar ao tratamento convencional. A Política Nacional de PICS prevê a possibilidade de oferta pelo SUS, de forma integral e gratuita, de 29 PICS à população.

No contexto de pandemia de COVID-19, as PICs são importantes ferramentas para cuidar de profissionais de saúde e da população em geral. Assim como a EPS, no que se refere à organização de ações junto às comunidades, potencializando o trabalho na Atenção Básica.

Integram a Comissão Municipal: Iraí Maria de Campos Teixeira e Maria Waldenez de Oliveira, docentes do DME; Renata de Cássia Gonçalves, do DMed, e Luís Carlos Pereira Tarley, estudante do curso de Terapia Ocupacional. O informativo “Compromisso com a saúde em São Carlos: a importância das Práticas Integrativas e Complementares e da Educação Popular em Saúde” pode ser consultado no link.

MAPEPS – O Mapeamento de Práticas de Educação Popular em Saúde promove processos de Educação Popular e Saúde por meio do diálogo e da troca entre práticas e saberes populares e técnico-científicos no âmbito do SUS e da Universidade, aproximando os sujeitos da gestão, dos serviços de saúde, dos movimentos sociais populares, das práticas populares de cuidado e das instituições formadoras. Para mais informações sobre o Programa MAPESP.

Em 2019, evento contou com a participação do Vice-Reitor da UFSCar, Walter Libardi.

Leave a Comment

Filed under Extensão, Gestão, Saúde

Com consultoria de Empresas Juniores, restaurantes ampliam atendimento

Na cidade de São Carlos, o proprietário de um restaurante procurou pela Empresa Jr. da Engenharia Elétrica da UFSCar, a EmpelTec Jr. “Precisamos readequar toda a planta elétrica, pois a infraestrutura tem problemas que afetam nossa rotina de trabalho e o atendimento aos clientes”, informou o proprietário. Os principais problemas eram a queda frequente de disjuntores e a impossibilidade de se ligar determinados aparelhos ao mesmo tempo, o que atrasava a preparação dos alimentos e colocava a produção em risco.

De forma personalizada, a EmpelTec Jr. trabalhou para desenvolver todo o projeto elétrico. “Enfrentamos dois grandes desafios: o primeiro foi a falta da planta baixa do espaço. O segundo foi a falta de informações relativas às coifas, que são aqueles aparelhos eletrodomésticos utilizados principalmente em cozinhas, acima do fogão, para remover o ar viciado e o mau cheiro”, conta Rodrigo Rojas, Vice-Presidente da Empresa Júnior da Engenharia Elétrica da UFSCar.

Para solucionar estas questões os estudantes precisaram utilizar um software específico e entrar em contato com os fabricantes das coifas, pois elas haviam sido feitas sob medida e não apresentavam quaisquer informações técnicas. Ao final da consultoria, o objetivo foi atingido: “Percebemos que a capacidade de produção no restaurante já aumentou. Além disso, estas melhorias facilitaram a regulamentação do estabelecimento”, finaliza Rodrigo Rojas.

Mapeamento de processos – Outro restaurante da cidade de São Carlos procurou pela Empresa Jr. da Engenharia Química, a EQ. Jr. por dificuldades em “fechar as contas do mês no verde” – ou seja, com resultado financeiro positivo.

Ao visitar o estabelecimento, os estudantes se depararam com outras questões: “Não existiam funções definidas para os colaboradores. Todo mundo fazia um pouco de tudo. Além disso, não havia controle de estoque, sendo frequente a ida ao mercado para novas compras. Também notamos que o marketing dentro do próprio restaurante apresentava problemas, pois muitos itens disponíveis não estavam no cardápio – e, consequentemente, não eram vendidos”, explica Maria Vitória Reis, Diretora de Projeto na Empresa Júnior da Engenharia Química da UFSCar.

Diversas ações foram empreendidas junto ao restaurante: Mapeamento dos processos do restaurante; implementação de planilha de controle de caixa; cadastro do restaurante na plataforma IFood, dentre outras. Para Maria Vitória Reis, os resultados são visíveis: “A mudança foi imediata. É muito bom ter este feedback e saber que, até hoje, o restaurante utiliza todas as ferramentas que implementamos”, afirma.

Empresas Juniores – Sem fins lucrativos, oferecem serviços e consultorias por valores até 35% abaixo do mercado. Os projetos são conduzidos por estudantes da Universidade e contam com o apoio de professores. “O objetivo é fomentar o empreendedorismo no meio universitário e colocar em prática o conhecimento adquirido em sala de aula. Toda nossa arrecadação é utilizada para apoiar os membros em cursos, eventos ligados ao empreendedorismo e para capacitação”, explica Nicolás Varela, membro do Núcleo São Carlos de Empresas Juniores.

Regulamentação na UFSCar – No final de 2019 as EJs foram regulamentadas na UFSCar no âmbito da Pró-Reitoria de Extensão (ProEx). “As Empresas Juniores representam bem o que é extensão, pois apoiam a sociedade e, ao mesmo tempo, colaboram para a formação dos estudantes. Ações de extensão são essenciais à formação dos estudantes”, conclui o Prof. Dr. Roberto Ferrari Jr, Pró-Reitor de Extensão da UFSCar.

– Informações:
-> Contato da Empresa Jr. da Engenharia Química/ UFSCar: acesse aqui
-> Contato da Empresa Jr. da Engenharia Elétrica/ UFSCar: acesse aqui
-> Contato do Núcleo São Carlos de Empresas Jr.: acesse aqui
-> Regulamentação das EJs na UFSCar: acesse aqui
-> Cartilha sobre as EJs na UFSCar: acesse aqui

Empresa Jr. da Engenharia Elétrica, campus São Carlos (Foto:EmpelTec Jr./ NUSC)

Leave a Comment

Filed under Extensão, Graduação