Monthly Archives: julho 2020

Manutenção e protocolos de segurança preservam Cerrado da UFSCar

Aceiros, vigilância permanente e ações rápidas evitam incidentes na área da Universidade.

Com a falta de chuva, aumenta a preocupação com as matas e florestas devido ao grande risco de incêndios. Em São Carlos, não chove há 27 dias, segundo a Defesa Civil de São Carlos. E na tarde da última terça-feira (28), um incêndio de grandes proporções atingiu uma área de preservação ambiental no Residencial Samambaia, atrás da área do Cerrado da UFSCar, campus São Carlos.

“O Cerrado da UFSCar só não foi atingido devido ao trabalho de manutenção com aceiros e o zoneamento da área, que possibilitou o acesso do Corpo de Bombeiros de São Carlos ao local do incêndio”, informou a Secretaria de Gestão Ambiental (SGAS).

Com o risco de incêndios no período de estiagem, a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) intensifica uma série de ações para a proteção do Cerrado do campus São Carlos. Uma ronda é realizada a cada 30 minutos nas áreas naturais. Quando surgem sinais de focos de incêndio (fumaça ou fuligem), nas proximidades da UFSCar ou mesmo no interior de suas áreas, é sempre feita uma verificação imediata, in loco, pelos vigilantes. Se um foco do incêndio é identificado, os vigilantes acionam a Prefeitura Universitária (PU), que inicia o combate ao fogo usando o caminhão-pipa da Universidade, que tem capacidade de 7 mil L, e abafadores.

Quando o incêndio é na área do entorno, na zona canavieira, os caminhões-pipa da Usina Raízen, responsável pelas áreas de cana, auxiliam no controle do fogo. Somente em 2020, os vigilantes ajudaram no controle de três focos de incêndios nas áreas da UFSCar e em seu entorno, o que foi essencial para não ocorrer a propagação do fogo.

Outra ação extremamente importante é a manutenção dos aceiros, essenciais para manter o fogo longe das áreas naturais do campus. Aceiros são faixas ao longo de divisas, cercas e áreas de vegetação nativa livres de vegetação. A vegetação é removida da superfície do solo para prevenir a passagem ou propagação do fogo. A ação é realizada   de forma bianual e o trabalho de 2020 está em andamento. No meio tempo, a Seção de Urbanização (SeUrb) atua na limpeza dos aceiros, para reduzir os riscos.

O Cerrado da UFSCar – O campus de São Carlos da UFSCar é contemplado com um fragmento de aproximadamente 260 hectares de cerrado. Esse ambiente é utilizado por pessoas da cidade como área de lazer, para a prática de atividades físicas diversas, contato com a natureza e observação de aves, fotografia de paisagens e registro de momentos pessoais, coleta de frutos nativos, visita como ponto turístico, em especial o ecoturismo regional, além de outros usos.

O Cerrado da UFSCar é um laboratório a céu aberto para professores da UFSCar e de outras universidades, professores do ensino municipal e estadual, educadores ambientais de várias instituições regionais, estudantes de graduação, pós-graduação e pesquisadores de diversas áreas que desenvolvem estudos no local.

Atualmente, o acesso ao Cerrado está proibido devido a pandemia da COVID-19. Apenas pesquisadores, servidores e estudantes envolvidos em atividades essenciais de trabalho e pesquisa podem entrar no local. A Portaria GR 4.441, de caráter emergencial, também dá respaldo aos vigilantes quanto a ações de fiscalização.

Foto cedida: SGAS

Foto cedida: SGAS

Leave a Comment

Filed under Espaço físico, Gestão ambiental, Segurança

Consulta aos docentes e discentes baliza proposta de volta às aulas

Acesso aos meios virtuais dos estudantes e necessidades formativas dos professores para o ensino remoto foram os focos da pesquisa

A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), via Pró-Reitoria de Graduação (ProGrad), realizou ampla consulta sobre as condições de acesso aos meios virtuais dos estudantes de graduação e necessidades formativas dos docentes para o ensino remoto. A pesquisa balizou a proposta de volta às aulas que considera o ensino não presencial emergencial (Enpe).

Ao todo, 10.709 respostas válidas foram recebidas na consulta aos discentes, o que equivale a 87,7% dos alunos ativos. Entre aqueles que participaram da pesquisa, 6,3% disseram ter acesso muito precário ou limitado à Internet e 93,7% relataram ter amplo acesso.

Sobre o acesso aos dispositivos para realizar as atividades acadêmicas, 6,3% do total de respondentes declararam não ter acesso a um equipamento apropriado (não têm qualquer acesso ou usam smartphone compartilhado); outros 6,6% têm acesso apenas a um telefone próprio ou tablet; 9,3% conseguem usar um computador compartilhado e 77,7% têm computador próprio para o uso.

Com base nas respostas coletadas, a UFSCar elaborou uma proposta de concessão de suporte à inclusão digital dos estudantes matriculados nos cursos de graduação presenciais. O edital de seleção para acesso ao auxílio será aberto pela Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis (ProACE), após homologação, pelo Conselho Universitário (ConsUni), da decisão já tomada no âmbito Conselho de Graduação (CoG), referente à abertura de calendário para oferta remota de atividades curriculares nos cursos presenciais. A proposta prevê auxílio financeiro aos estudantes para a compra de computadores, garantia de acesso à Internet e alocação de recursos para assinatura de biblioteca digital, que será disponibilizada gratuitamente a todos os discentes.

Sobre o isolamento social, 2,3% dos respondentes declararam não estar em isolamento. Todos os demais estão cumprindo a quarentena em isolamento total (39,9%) ou parcial (57,8%), sendo este último caracterizado por saídas eventuais para compras essenciais.

Entre os principais impactos causados pela pandemia de Covid-19, os estudantes apontaram efeitos financeiros e emocionais (angústias e incertezas), além de preocupações sobre atrasos nos cursos e na formação.
Para os alunos que, mesmo possuindo acesso à Internet e equipamentos, não se encontrarem neste momento em condições favoráveis para realizar as atividades acadêmicas, foi aprovado no CoG um conjunto de normativas que vão permitir que o estudante possa decidir participar ou não deste novo período letivo sem que corra risco de prejuízo acadêmico.

No levantamento, a preocupação da ProGrad era compreender as condições de acesso apropriadas e específicas para o aprendizado remoto. Isso porque a Universidade entende que 100% dos alunos têm acesso pontual à Internet, já que todos os procedimentos para ingresso na Instituição pressupõem alguma etapa realizada virtualmente. O resultado completo da consulta aos estudantes pode ser acessado no link Consulta Discente.

Consulta aos docentes – A ProGrad também ouviu os docentes sobre a oferta de atividades curriculares por meios virtuais. O principal objetivo da consulta foi levantar informações para subsidiar tanto as ações formativas que estão sendo planejadas e executadas pela própria ProGrad e pela Secretaria Geral de Educação a Distância (SEaD), quanto comunidade acadêmica nas discussões e processos decisórios da reestruturação das atividades de graduação ao longo da crise deflagrada pela Covid-19.

A consulta aos docentes recebeu 1.120 respostas válidas: 83,9% dos docentes efetivos da UFSCar e 55,8% dos professores substitutos participaram. Das demais categorias – visitantes, voluntários, colaboradores, pós-docs e sêniores – apenas 13 respostas foram encaminhadas.

A pesquisa apurou que os docentes estão muito ativos apesar do isolamento social, realizando atividades de pesquisa, gestão, extensão e ensino. Apenas 2,9% dos respondentes afirmaram que não estão realizando qualquer atividade e, entre esses, a maioria está? entre docentes substitutos, docentes afastados para estágio de pesquisa ou por licença maternidade/adotante ou docentes que exercem prioritariamente atividade prática.

43,8% dos docentes afirmaram ter pouca ou nenhuma familiaridade com os ambientes virtuais de aprendizagem e 36,9% consideram que não estão, ou estão pouco, preparados para conduzirem atividades curriculares por meios virtuais. As principais necessidades formativas apontadas pelos professores estão relacionadas ao uso de tecnologias de informação e comunicação, utilização dos ambientes virtuais de aprendizagem, produção de material didático em diferentes mídias, planejamento, estratégias metodológicas e avaliação.

Sobre os entraves para o ensino remoto durante a pandemia de Covid-19, 90,5% apresentam preocupação quanto a possíveis dificuldades dos estudantes relacionadas à falta de acesso à Internet, a equipamentos e a ambientes adequados ao estudo. Outros 61,4% demonstram preocupação com a dificuldade ou impossibilidade de adequar temas e transmitir conteúdos sem a presença física dos estudantes em sala de aula ou laboratório. A sobrecarga de trabalho, restrições de tempo e o estresse vinculado à crise também são motivos de preocupação bastante frequentes.

Com o objetivo de apoiar os professores neste processo emergencial de adequação das atividades, a ProGrad e a SEaD criaram uma sala virtual de assessoria pedagógica, aberta a todos os docentes da UFSCar, para estabelecer um canal de interlocução, partilha de aprendizagens e diálogo sobre como conduzir as atividades de ensino utilizando tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) no atual contexto.

Além disso, estão sendo produzidas e transmitidas orientações técnicas para os professores, por meio de lives, que discutem temas relacionados a? prática docente em tempos de pandemia, todas as quartas-feiras, das 10h30 às 12 horas.

Informações sobre a sala de assessoria pedagógica, as lives e outras ações propostas pela ProGrad e SEaD podem ser consultadas aqui.

A SEaD também, via Inovae – Espaço de Apoio ao Ensino Híbrido, reuniu e disponibilizou uma série de materiais destinados a professores, estudantes e demais interessados para prática pedagógica apoiada em TDIC. O acesso pode ser feito no site.

O resultado completo da consulta aos docentes pode ser acessado no link Consulta Docente.

Leave a Comment

Filed under Avaliação, COVID-19, Educação a distância, Formação de professores, Graduação, Permanência, Políticas de Educação e CTI, Saúde, Segurança

Nota da Reitoria: Informações Falsas e Distorcidas Divulgadas pela Imprensa

Foto: Reitoria UFSCar

Segundo o Ranking de Universidades da Folha (RUF), a UFSCar é a 12ª (decima segunda) melhor universidade do Brasil no ranking geral. Desde 2013 a UFSCar vem ocupando entre a 10ª e a 12ª posição neste ranking, com oscilações para cima e para baixo ao longo dos anos. A UFSCar também vem ocupando entre a 10ª e 12ª posição entre as melhores do Brasil, segundo os rankings THE e QS, nos últimos quatro anos.

A posição no ranking é composta pela somatória de vários indicadores, sendo que, em alguns destes indicadores, a UFSCar está acima da 12ª posição e, em outros indicadores, abaixo. Por exemplo, no próprio RUF a UFSCar é a 7ª melhor no ranking de Ensino.

Assim, informação veiculada recentemente pela imprensa local afirmando que a UFSCar “tombou no Ranking de Universidades da Folha de São Paulo” é, no mínimo, distorcida e com viés que busca difamar a UFSCar.

Um ponto importante para a análise do RUF não mencionado pela reportagem é o tamanho das Universidades. Compare uma universidade com 5 mil docentes e outra com 1 mil: quem deve publicar mais artigos? E depositar mais patentes? O RUF classifica as Universidades por tamanho e a UFSCar é considerada “média”. A UFSCar é a universidade de tamanho médio mais bem posicionada no RUF, à frente de mais de 60 universidades “grandes”.

Sobre o indicador Inovação, a reportagem afirma “(…) a UFSCar despencou dezesseis lugares, ocupando atualmente o vexatório 30º lugar. E ninguém é capaz de explicar o porquê de uma queda tão brusca”. É fácil explicar: a posição da UFSCar mudou de 2017 para 2018 porque o ranking mudou. Em 2018 a Folha de São Paulo introduziu ajustes na metodologia do RUF e passou a considerar, além do número de patentes depositadas, o número de artigos publicados em parceria com a iniciativa privada, ocorridas entre 2011 e 2015.

Sobre o indicador Mercado, é importante lembrar sua construção com base exclusivamente em pesquisa de opinião conduzida pelo Datafolha com empregadores sobre suas preferências de contratação. A raiz da questão aqui é: um empregador entrevistado pelo Datafolha deixaria de dizer que a Universidade onde ele mesmo se formou é uma das preferidas para contratação? A UFSCar forma excelentes profissionais – lembremos que ela é a 7ª no ranking de Ensino – mas em número relativamente pequeno quando comparada às estaduais paulistas, às grandes federais – UFRJ, UFMG, UFRGS, UFPE, UnB – e às grandes Universidades particulares. A chance do empregador entrevistado pelo Datafolha ser formado na UFSCar é menor do que em outras Universidades.

Sem citar fontes ou documentos comprobatórios, a mesma reportagem afirma que a UFSCar aderiu ao Programa Future-se. A UFSCar não aderiu ao Future-se – Programa que sequer foi votado no Congresso Nacional. Também sem citar fontes ou documentos, a reportagem afirmou que o orçamento da UFSCar é cerca de R$1,1 bilhão. O orçamento da UFSCar é de R$650 milhões ao ano.

A UFSCar lamenta a tentativa de difamar sua imagem por meio de informações falsas e distorcidas. A pronta repercussão interna por pessoas envolvidas na Pesquisa Eleitoral para sucessão à Reitoria dá um indicativo do possível interesse por trás desta desinformação.

Leave a Comment

Filed under Notas da Reitoria

UFSCar comemora 100 anos de Florestan Fernandes

No centenário de aniversário do sociólogo, a UFSCar prepara evento e participa de livro sobre a vida do intelectual.

Na última quarta-feira, dia 22 de julho, o nascimento de um dos maiores sociólogos e intelectuais brasileiros, Florestan Fernandes, completou 100 anos. Para comemorar a data, a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), por meio da Unidade Multidisciplinar de Memória e Arquivo Histórico da UFSCar (UMMA), está organizando, para este segundo semestre, um evento virtual.

“Florestan Fernandes foi um dos maiores sociólogos brasileiros, reconhecido internacionalmente. Sua trajetória de vida chama nossa atenção para a resistência, coragem e persistência, tanto na prática da ciência quanto na vida pessoal. Vivemos tempos de esquecimento e rememorar Florestan Fernandes é relembrar a importância da história da Sociologia no Brasil e também de sua militância política sempre em busca de um ideal por uma sociedade melhor”, diz Claudia de Moraes Barros Ramalho, Diretora da UMMA.

Por meio da UMMA, a UFSCar integra o webnário “Florestan Fernandes: 100 anos de um pensador brasileiro”, realizado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), entre os dias 17 e 19 de agosto. Além disso, Ramalho, com a colaboração da equipe da UMMA, escreveu um capítulo do livro “Florestan Fernandes: 100 anos de um pensador brasileiro” que será lançado também pela Unifesp nas próximas semanas, com versão gratuita e digital.

Desde 1996, a UFSCar mantém, na Biblioteca Comunitária (BCo) do Campus São Carlos, o acervo Fundo Florestan Fernandes (FFF). A coleção adquirida pela Universidade, um ano após a morte do sociólogo, reúne um conjunto de documentos composto por fichas manuscritas das pesquisas acadêmicas de Florestan, trabalhos de alunos, artigos publicados, correspondências trocadas com seus correligionários, recortes de jornais, cadernos e cadernetas de pesquisas, fotografias, cartazes, panfletos de campanha eleitoral, diversos objetos, entre outros itens.A organização do FFF segue as orientações do Projeto Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos (CPBA), a Norma Internacional de Registro de Autoridade Arquivística para Entidades Coletivas, Pessoas e Famílias (Isaar-CPF) e a Norma Brasileira de Descrição Arquivística (Nobrade).

O acervo é mantido exatamente como Florestan o deixou, ou seja, com a organização feita por ele nas estantes e prateleiras em seu apartamento em São Paulo. Além de livros e dos documentos pessoais, o acervo do FFF tem vários objetos pessoais, totalizando 133 peças. A maior parte desses objetos, aproximadamente 79 peças, fica exposta no que ficou conhecido como “Museu Florestan Fernandes”, com visitação aberta ao público (exceto neste período de pandemia). No local, é possível conhecer a beca utilizada por Florestan para receber o prêmio Honoris Causa na Universidade de Coimbra, sua máquina de datilografar, seus óculos, placas de homenagem, um retrato em forma de quadro pintado pelo amigo Bernardino de Souza Pereira, diversos ornamentos de origem indígena, etc.

Em 2009, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) reconheceu o Fundo Florestan Fernandes como patrimônio da Memória do Mundo, identificando o arquivo como um dos conjuntos documentais de maior relevância para a humanidade. Desde 2015, a Unesco criou e disponibilizou uma logomarca do FFF que autentica a importância do Fundo.

O acervo está disponível para pesquisa no site da BCo. Os pesquisadores podem solicitar documentos por meio deste formulário online. Outras informações podem ser solicitadas pelos e-mails memoriadaufscar@gmail.com, umma@ufscar.br ou colesp.bco@gmail.com.

Foto: Fundo Florestan Fernandes (UMMA)

Foto: Fundo Florestan Fernandes (UMMA)

Leave a Comment

Filed under Efemérides, Espaço físico, Publicações

Conselho de Graduação irá votar retomada das aulas nesta quinta (23)

Nesta quinta-feira (23), a partir de 8h40, o Conselho de Graduação da UFSCar irá discutir a retomada das atividades de graduação. A proposta que será apreciada foi elaborada pelo Grupo de Trabalho GT-Planejamento, instituído no âmbito da Pró-Reitoria de Graduação (ProGrad), com ampla representatividade, composto por estudantes, técnico-administrativos e professores de todos os 8 Centros Acadêmicos dos 4 campi.

O texto recomenda que as atividades ocorram integralmente de forma não-presencial, no âmbito excepcional e exclusivo da pandemia da COVID-19, com novo período letivo iniciando em 31 de agosto de 2020 para os cursos semestrais, e data a ser definida para cursos anuais.

Inclusão – Em uma ação conjunta da Pró-Reitoria de Graduação (ProGrad), da Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis (ProACE) e da Pro-Reitoria de Administração (ProAd), acompanha a proposta de retomada um edital para concessão de suportes à inclusão digital dos estudantes matriculados em cursos de graduação presenciais da UFSCar. Estão previstos auxílio financeiro para compra de computadores (mediante edital de seleção), garantia de acesso à internet e alocação de recursos para assinatura de acesso à biblioteca digital – a ser disponibilizada gratuitamente a todos os alunos.

Acessibilidade – Paralelamente ao GT Planejamento foi constituído o Grupo de Trabalho Interdisciplinar sobre Acessibilidade (GTI-Acessibilidade) com o objetivo de auxiliar professores e estudantes na construção de soluções para o pleno acesso de estudantes com deficiência ao ensino virtual.

Apoio aos docentes – A ProGrad, em parceria com a Secretaria de Educação a Distância (SEaD), criou um ambiente virtual de assessoria pedagógica, aberto a todos os docentes da UFSCar. Também vêm produzindo orientações técnicas para os docentes por meio de “lives”, todas as quartas-feiras, das 10h30 às 12h00. As gravações das “lives” podem ser acessadas clicando aqui.

Mais ações – No âmbito da ProGrad, diversas ações estão sendo tomadas para viabilizar o retorno às atividades acadêmicas de forma segura e inclusiva. Já há previsão de apoio acadêmico aos docentes com a retomada do trabalho dos tutores, monitores e do pró-estudos. Destacam-se, também, as consultas realizadas junto aos estudantes e professores, que podem ser conferidas clicando aqui.

Informações:

Conselho de Graduação (CoG)
Data: 23 de julho de 2020
Horário: 8h40

– Transmissão ao vivo (mediante autorização do pleno):
Pelo Facebook – clique aqui
Pelo Streaming (necessário estar logado com e-mail @ufscar) – clique aqui

– Saiba mais sobre a proposta de aulas remotas – clique aqui

A proposta é de ensino remoto e será acompanhada por edital para inclusão digital

A proposta é de ensino remoto e será acompanhada por edital para inclusão digital (Foto: Flávia Salmázio/ Reitoria UFSCar)

Leave a Comment

Filed under Acesso à informação, COVID-19, Educação a distância, Graduação, Políticas de Educação e CTI, Saúde, Segurança, TIC