Calendário acadêmico para 2021 é aprovado no Conselho de Graduação, período letivo terá início em 16/8

imagem de estudante escrevendo no caderno com computador ao lado

Período letivo de 2021 será no formato do Ensino Emergencial Não Presencial (Foto: Freepik)

O calendário acadêmico da UFSCar para 2021, no formato do Ensino Não Presencial Emergencial (ENPE), foi aprovado ontem (7/6) na 3ª Sessão Extraordinária do Conselho de Graduação (CoG). Com um novo formato, de bloco único com 14 semanas, o calendário é referente ao ENPE 3 e ENPE 4 e terá o ano letivo iniciado em 16 de agosto com término em 30 de abril de 2022.

Todo o processo de construção da proposta pelo Grupo de trabalho (GT) Planejamento do CoG e debate com a comunidade universitária para se chegar à proposta final e sua aprovação foi detalhado pelo Pró-Reitor de Graduação, Daniel Leiva, no programa “Na Pauta”, durante sua participação no “Na Pauta #15” e no “Na Pauta #16”. Confira!

Na edição do programa desta terça-feira (do momento 45:20 ao 1:05:41), Leiva, além de destacar o cronograma das atividades, falou sobre o plano do GT Planejamento de iniciar, em breve, as propostas e planejamento para o calendário acadêmico de 2022.

“Após todo o debate e construção coletiva, após três sessões do CoG, temos um calendário com um bloco único com duração adequada e que vai permitir que comecemos progressivamente a nos aproximar do calendário civil, movimento que as demais universidades também têm promovido e que começa a nos preparar para que possamos iniciar o planejamento para um futuro retorno híbrido às atividades, devidamente orientado e alinhado com o Núcleo Executivo de Vigilância em Saúde (NEVS)”, disse Leiva.

O Pró-Reitor de Graduação informou ainda que o CoG passará a apreciar uma nova minuta de resolução para o ENPE, o que inclui a discussão sobre atividades práticas que possam ser realizadas remotamente, assim como as condições para um período suplementar de atividades práticas presenciais que possam ser realizadas com segurança.

Veja como fica o calendário acadêmico de 2021

ENPE 3: 2021/1
29/6 – Prazo final para oferta de atividades para o período 2021/1 e término do período 2020/2 – Blocos B e C

6/7 a 11/8 – Período para renovação de matrícula para o período 2021/1

4/8 e 5/8 – Inscrição em atividades curriculares

16/8 – Início do período letivo do ENPE 3 2021/1

1/11 a 5/11 – Recesso

20/11 – Prazo final para trancamento de matrícula e cancelamento de inscrição em atividades do período 2021/1

27/11 – Término do período letivo do ENPE 3 2021/1

ENPE 4: 2021/2

17/1/2022 – Início do período letivo ENPE 4 2021/2

28/2/2022 a 5/3/2022 – Recesso

23/4/2022 – Prazo final para trancamento de matrícula e cancelamento de inscrição em atividades do período 2021/2.

30/4/2022 – Término do período letivo ENPE 4 2021/2

O calendário acadêmico para 2021 está disponível na página da Pró-Reitoria de Graduação, na seção Estudantes / Calendários Acadêmicos.

Arquivado em Graduação

Vencendo a Covid-19: Comitê Gestor da Pandemia inclui estágios presenciais remunerados de Graduação como atividades essenciais no cenário da pandemia

Logo Vencendo a Covid-19

Atividades presenciais remuneradas são aprovadas como essenciais no contexto atual da pandemia (Arte: CCS/UFSCar)

O Comitê Gestor da Pandemia (CGP) aprovou a recomendação ao Núcleo Executivo de Vigilância em Saúde (NEVS) para que atividades presenciais remuneradas, referentes a projetos de discentes de graduação e pós-graduação submetidos ao Núcleo, sejam identificadas como essenciais por corresponderem a mecanismos de proteção social. O Comitê entende que, no contexto atual da pandemia e das condições econômicas e sociais do País, a remuneração através das bolsas pode representar uma importante fonte de renda para o estudante e sua família, impactando positivamente na sua qualidade de vida.

Fazem parte dessas atividades:
Projetos de estágios remunerados de graduação;
Projetos de bolsistas de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado que, segundo as agências de fomento, não possam ter seus prazos prorrogados, apresentando como prazo final para sua conclusão uma data no transcorrer das atividades acadêmicas dos semestres de 2021 (no caso dos programas de pós-graduação, prazo até, no máximo, março de 2022).

Diante disso, as solicitações dessas atividades poderão ser caracterizadas como essenciais pelo NEVS, podendo ser aprovadas caso apresentem um plano de contingência que esteja tecnicamente adequado e recomendado para a prevenção da Covid-19, conforme a Resolução ConsUni nº 39.

No site do Vencendo a Covid-19 estão disponíveis o formulário para o preenchimento dos planos de contingência e um manual com orientações para o preenchimento correto.

Arquivado em COVID-19

Atualização sobre a questão orçamentária da UFSCar é destaque na 249ª Reunião Ordinária do Conselho Universitário

Captura de tela de reunião

Reitora, Ana Beatriz de Oliveira, contextualizou sobre o cenário orçamentário e as mobilizações realizadas para sua recomposição (Reprodução)

O cenário orçamentário da UFSCar foi o ponto central do debate da 249ª Reunião Ordinária do Conselho Universitário (ConsUni), que trouxe a atualização do orçamento de 2021 a partir da aprovação da Lei Orçamentária Anual (LOA). Assim como nas demais Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) e Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, a situação orçamentária na UFSCar é crítica, devido aos sucessivos cortes nos últimos anos.

O tema tem sido apresentado e compartilhado de forma transparente com a comunidade nos demais órgão colegiados, com destaque para o Conselho de Administração (CoAd) e Conselho de Assuntos Comunitários e Estudantis (CoACE), em que, além de serem apresentados os custos das atividades e o orçamento disponível, estão sendo deliberadas estratégias para enfrentar a indefinição e o enxugamento dos recursos.

A Reitora, Ana Beatriz de Oliveira, contextualizou como se deu a aprovação da LOA que resultou no corte orçamentário de 18% para as Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) em 2021, alertando que, ainda sem justificativa por parte do Ministério da Educação (MEC), na UFSCar, o corte chega a 21%.

Em sua fala, Oliveira lembrou também que, do orçamento aprovado referente a despesas discricionárias e obrigatórias, 40% já foi liberado e empenhado e que, dos 60% restantes, cerca de 35% ainda permanecem bloqueados. “Diante dessa instabilidade fica difícil planejar de forma efetiva o orçamento e as ações estratégicas. Como temos falado, nosso compromisso neste momento é com a garantia do pagamento das bolsas e dos contratos que envolvem os prestadores de serviços”, disse.

A Reitora destacou o trabalho de mobilização que a gestão tem feito junto às Instituições Federais de Ensino Técnico e Superior do estado de São Paulo e a entidades externas, como a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), pela recomposição do orçamento de 2021, disponibilização imediata dos recursos aprovados na Lei Orçamentária de 2021 e liberação dos R$ 5 bilhões previstos para a Reserva de Contingência do Fundo Nacional de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia (FNDCT), que, embora tenha sido publicamente anunciada pelo Ministério da Economia (ME), até o momento não foi disponibilizada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Esse movimento já resultou em reunião com parlamentares da bancada paulista no Congresso Nacional, que se somaram aos esforços dos reitores e reitoras, levando o tema ao Ministério da Educação, que se comprometeu a agendar uma reunião entre os dirigentes das instituições, parlamentares e o próprio MEC com o Ministério da Economia.

Além disso, a Reitora tem realizado encontros com parlamentares regionais em busca de apoio. “É evidente que a situação é crítica e já está impactando a Universidade e, por isso, a preocupação com uma possível inviabilidade das atividades é pertinente. Porém, reforço que estamos atuando de forma intensa para reverter esse cenário e temos avançado dando visibilidade ao tema e construindo caminhos com os parlamentares. Junto a isso, é fundamental o envolvimento de toda a comunidade universitária nesse movimento para assegurarmos o acesso e a permanência de todos e todas no Ensino Superior público, gratuito e de excelência, fundamental para a transformação social e o desenvolvimento científico e tecnológico do País”, evidenciou a Reitora.

A equipe da Pró-Reitoria de Administração (ProAd) explicou em detalhes como foi construída a previsão de orçamento da UFSCar para 2021, em especial para as verbas do Plano Nacional de Assistência Estudantil (PNAES) e para o funcionamento e manutenção das atividades da Universidade.

O orçamento total para o funcionamento e para o PNAES em 2021 é da ordem de R$ 41 milhões, sendo cerca de R$ 8 milhões para o PNAES e R$ 32 milhões para o funcionamento. Esse valor fica em média R$ 9 milhões abaixo do necessário para a Universidade custear suas atividades, orçadas na ordem de R$ 50 milhões, sendo cerca de R$ 10 milhões para o PNAES e R$ 39 milhões para as despesas fixas. O material apresentado na reunião com os detalhes das despesas e recursos pode ser conferido aqui.

Cabe ressaltar que o detalhamento das despesas ainda não contempla recursos a serem diretamente aplicados pelas Pró-Reitorias e também pelos Centros, uma vez que não há disponibilidade orçamentária neste momento. Havendo recomposição, a proposta de uso dos recursos será apresentada e deliberada pelos colegiados superiores.

Frente ao desafio imposto pelo corte de recursos, a equipe da ProAd destacou que está atuando para fazer o remanejamento dos custos, adequando-os ao orçamento disponível, a partir da readequação dos novos contratos de serviços que vão ser estabelecidos por demanda e por produtividade.

Além disso, seguindo a premissa da gestão de priorizar as pessoas, junto com a ProACE, foi possível, através do remanejamento, assegurar até o final do ano o pagamento das bolsas da ProACE e os serviços do Restaurante Universitário, priorizando a assistência aos estudantes em situação de vulnerabilidade.

Para evidenciar o seu comprometimento em reverter o quadro crítico de recursos, os conselheiros realizaram uma moção pela recomposição orçamentária, chamando a sociedade brasileira a se unir à luta em defesa de suas Instituições Federais de Ensino (link). As informações e reflexões sobre o orçamento discutidas na 247ª Reunião Ordinária do ConsUni podem ser conferidas no vídeo de gravação da reunião (do momento ao 49:51 ao 2:06:38).

Confira as matérias já publicadas sobre o Orçamento Anual 2021 até o momento:

Reitora se reúne com parlamentares de São Carlos e federais para apresentar gravidade do cenário orçamentário e solicitar apoio

UFSCar se une às IFES em mobilização com parlamentares da Bancada Paulista no Congresso Nacional em busca da recomposição do orçamento 2021

Informe sobre questão orçamentária marca 57ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração

Diante da falta de recursos, CoAd aprova critérios para priorização de pagamentos

CoACE aprova medidas emergenciais para assegurar ações de permanência e assistência estudantil no contexto do ENPE, da pandemia e de cortes no orçamento

ProACE apresenta estratégias para permanência estudantil no contexto de cortes de orçamento e da pandemia em reuniões com estudantes e departamentos da UFSCar

Desafios do orçamento para 2021 são apresentados na 56ª Reunião do Conselho de Administração (CoAd)

Andifes se manifesta sobre cortes de mais 18% no orçamento das universidades federais

Andifes mobiliza reitores e parlamentares pela defesa do orçamento das Instituições Federais de Ensino Superior

Arquivado em Conselhos, Gestão

Moção do ConsUni pela recomposição orçamentária e chamando a sociedade brasileira à defesa de suas Instituições Federais de Ensino

O Conselho Universitário (ConsUni) da UFSCar aprovou na sua 249ª Reunião Ordinária, uma moção pela recomposição orçamentária e chamando a sociedade brasileira à defesa de suas Instituições Federais de Ensino. O documento está disponível na página da Secretaria dos Órgão Colegiados (SOC) da UFSCar e também pode ser lido a seguir na íntegra:

“O Conselho Universitário (ConsUni) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), em sua 249ª Reunião Ordinária, realizada em 28 de maio de 2021, deliberou, com unanimidade, pela manifestação, dirigida às diferentes instâncias do Governo Federal e, também, ao Congresso Nacional, sobre a exigência e urgência de medidas concretas para a recomposição do orçamento destinado às Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) e, também, aos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia.

As universidades e institutos federais são um patrimônio do País, de toda a sua população, construído com a contribuição, os esforços e, também, sacrifícios, de gerações de brasileiros e brasileiras. Eles são o legado dessas gerações, centrais na construção tanto de um presente que nos permita sair da profunda crise que vivemos quanto de um futuro que concretize a transformação tão necessária no sentido de um Brasil menos desigual, mais democrático, sustentável, com justiça e equidade.

Assim, cabe aos representantes eleitos por essa população garantir que tenham as condições mínimas necessárias para a continuidade de suas atividades e, também, para o planejamento de um futuro em que sigam crescendo para atender a sociedade brasileira desde as suas demandas de formação até a produção do conhecimento necessário à solução dos grandes problemas apresentados à Nação.

Houve, no passado, tentativas de enfraquecer e, eventualmente, paralisar universidades e outras instituições de ensino pelo estrangulamento orçamentário. Não tiveram sucesso, pela resiliência, luta e resistência de suas comunidades, junto às mais diversas forças e movimentos sociais, unidos em defesa deste patrimônio. Não será agora que pereceremos e, contamos, para isso, novamente com o apoio e a participação de toda a sociedade brasileira”.

Arquivado em Conselhos

Secretaria Geral de Informática (SIn) realiza migração dos sistemas da UFSCar para a serviço de nuvem

Logo da Secretaria Gerald e Informática

Secretaria Geral de Informática atua para trazer mais estabilidade, agilidade e segurança aos processos (Reprodução)

Segurança dos dados, velocidade e estabilidade dos sistemas. Estas são as vantagens do uso do sistema de nuvens, modelo de computação que armazena dados na internet por meio de um provedor na nuvem, para o qual a Secretaria Geral de Informática (SIn) está migrando todos os sistemas da UFSCar. Em Na Pauta #14, o Secretário Geral de Informática da UFSCar, Erick Melo, (do momento 52:56 ao 1:11:36) deu detalhes sobre o projeto e outras ações da SIn que estão em andamento.

A implementação do projeto, iniciada em 2019, coloca a Universidade como uma das pioneiras entre as Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) a realizar a migração para a nuvem. O serviço utilizado pela UFSCar é o Amazon Web Services, que passa a ser responsável por toda a operação de infraestrutura, permitindo à equipe da SIn focar no desenvolvimento e gerenciamento dos sistemas.

A primeira fase do projeto foi responsável pela migração dos registros de arquivos da Universidade (backup). A segunda, em andamento, já inseriu na nuvem os sistemas da Central de Serviços e do Sistema Eletrônico de Informações (SEI).

Os próximos a serem inseridos são o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), ProExWeb, Sistema Integrado de Gestão Acadêmica (SIGA), o Repositório e todos os demais externos utilizados pela comunidade interna, bem como os da própria SIn.

Erick Melo explica que o sistema em nuvem substitui o modelo clássico que utiliza um data center na SIn, com vários servidores, para guardar os dados, que, por estarem em equipamentos físicos, ficam suscetíveis a oscilações de funcionamento por eventuais falhas de energia e de acesso à rede de internet.

“Isso era um motivo de preocupação constante para a SIn, pela instabilidade e o seu impacto para toda a comunidade. A partir de um estudo técnico detalhado e treinamento de toda a equipe, criamos um departamento exclusivo para cuidar deste sistema. Além da segurança, estabilidade e velocidade, vantagens primordiais para o aprimoramento deste serviço, a tecnologia permite a mobilidade, sem custo, para qualquer outro sistema de nuvem”, destaca Melo.

Outra iniciativa da SIn referente ao aprimoramento das atividades é o projeto piloto, iniciado pelo Sistema de Apoio à Gestão Universitária Integrada (SAGUI), que possibilita formas alternativas de fazer o login nos sistemas da UFSCar pela conta Gov.br (portal unificado do Governo Federal), desburocratizando os acessos e trazendo ainda mais segurança aos dados.

Arquivado em Infraestrutura