UFSCar é destaque no Prêmio FEJESP de Educação Empreendedora 2021

Equipe da UFSCar

Equipe da UFSCar na cerimônia de premiação da FEJESP 2021 (Divulgação)

UFSCar se destacou no Prêmio da Federação das Empresas Juniores do Estado de São Paulo (FEJESP) de Educação Empreendedora 2021 e conquistou dois prêmios e três certificados. A Universidade recebeu o prêmio de Melhor Universidade Pública Federal no Ranking das Universidades Empreendedoras Paulistas e o 3º lugar no prêmio Excelência do Movimento Empresa Júnior Paulista.

As certificações conquistadas foram de Instituição de Ensino Superior Federada, pela contribuição para a formação empreendedora de seus estudantes, por meio do estímulo ao Movimento Empresa Júnior na Instituição, e a de Alto Crescimento, que diz respeito à performance das Empresas Juniores (EJs) na Instituição e indica que a Universidade atingiu o valor de faturamento e número de projetos maior ou igual à soma dessas metas de suas EJs.

A UFSCar configurou-se também como uma Instituição de Ensino Superior Júnior, por ter pelo menos 25% dos cursos de graduação oferecidos contempaldos com o Movimento Empresa Júnior. No dia 8/12, será anunciado, em Brasília (DF), o resultado do Ranking Nacional das Universidades Empreendedoras 2021.

A Reitora da UFSCar, Ana Beatriz de Oliveira, acompanhada da coordenadora do Núcleo de Extensão UFSCar Empresa (NUEmp/ProEx), Marta Cristina Marjotta-Maistro, da representante da Agência de Inovação, Patrícia Villar, da Chefe do Departamento de Informações Institucionais da Secretaria Geral de Planejamento e Desenvolvimento Institucionais (SPDI), Nadine Ramos, do Secretário Geral de Relações Internacionais, Márcio Weber Paixão, e do estudante de Engenharia de Materiais e integrante do Movimento das Empresas Juniores, Marcelo Ávila, participou da premiação, realizada na última terça-feira (30/11).

Ao receber um dos prêmios, a Reitora destacou a importância de todas as pessoas que, mesmo em tempos de tantas ameaças à educação, à ciência e à tecnologia, constroem a UFSCar diariamente em busca da excelência. Além disso, reafirmou o compromisso da Universidade em seguir atuando na educação empreendedora para além de promover o desenvolvimento tecnológico na sociedade, transformando o Brasil em um país menos desigual.

“Foi com muito orgulho que recebi esse prêmio em nome da UFSCar. Ele é fruto de um importante trabalho de Extensão, com o envolvimento de toda a comunidade, que contribui significativamente para que os nossos estudantes adquiram experiência profissional ainda na Universidade. Estreamos o prêmio com o título de Melhor Universidade Pública Federal no Ranking das Universidades Empreendedoras Paulista e isso é fantástico” , destacou.

O Ranking das Universidades Empreendedoras (RUE) tem como proposta valorizar a excelência do Ensino Superior no Brasil e o compromisso das instituições em oferecer aos estudantes a vivência empresarial ainda no espaço acadêmico.

Para identificar as universidades com o perfil empreendedor, o ranking analisa seis pilares que caracterizam o empreendedorismo no Ensino Superior. São eles: Extensão, Inovação, Internacionalização, Infraestrutura, Capital Financeiro e Cultura Empreendedora.

Marjotta-Maistro explica que alcançar esse resultado estadual só foi possível pela atuação conjunta das unidades e dos estudantes de Graduação para o levantamento de dados e participação nas pesquisas de avaliação. “Os certificados conquistados pela UFSCar são muito importantes, pois mostram que a Universidade também tem um olhar voltado para uma educação empreendedora”, disse.

Arquivado em Extensão, Prêmios

Conselho de Graduação aprova vestibular indígena em parceria com a Unicamp

Imagem de captura de tela

Pró-Reitor de Graduação, Daniel Leiva, conduz a reunião do conselho

O Conselho de Graduação (CoG), em reunião extraordinária realizada na última terça-feira (30/11), deliberou sobre importantes pautas da graduação, como o Processo de Ingresso Indígena em 2022.

Por unanimidade, o conselho aprovou que, a partir de 2022, o edital para a realização do processo seletivo de indígenas para os cursos presenciais de graduação seja realizado em parceria com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O processo unificado possibilitará a um maior número de candidatos indígenas participar do processo seletivo das duas instituições, sem ter que escolher por uma delas, o que ocorria anteriormente, devido aos custos e à dificuldade de deslocamento para a participação em dois processos seletivos que aconteciam em datas próximas.

Além de ampliar a inclusão de estudantes indígenas, a unificação do processo seletivo reduz os custos de aplicação da prova para as duas instituições, mantendo o mesmo rigor técnico. A cooperação entre as duas universidades será oficializada nos próximos dias.
Os detalhes sobre a parceria serão apresentados pela equipe da Pró-Reitoria de Graduação (ProGrad) e do Centro de Culturas Indígenas (CCI) da UFSCar nas próximas semanas no programa Na Pauta, que acontece toda terça-feira, às 14h15, com transmissão pelos canais UFSCar Oficial no Facebook e YouTube.

“O processo seletivo unificado atende a uma demanda dos estudantes indígenas e configura uma importante conquista para eles e também para a Universidade, que dá mais um passo para a democratização do acesso ao Ensino Superior”, disse o Pró-Reitor de Graduação, Daniel Leiva.

O CoG aprovou também a minuta de resolução da renovação de matrícula anual para estudantes do Programa Estudante Convênio de Graduação (PEC-G), a partir do mês de novembro, assegurando ao estudante a vaga no ano letivo posterior. A solicitação deverá ser feita à Divisão de Gestão e Registro Acadêmico (DiGRA), que irá emitir a declaração de matrícula dos estudantes PEC-G, com validade para todo o ano subsequente.

A aprovação da normativa é de fundamental importância para a permanência dos estudantes estrangeiros, uma vez que, em cumprimento ao Decreto Federal nº7.948, para renovar o visto de permanência no Brasil, precisam apresentar o comprovante de matrícula, que exige que estejam matriculados por todo o ano letivo posterior.

Outro item da pauta aprovado foi a composição da comissão para acompanhamento e aperfeiçoamento do Programa de Acompanhamento Acadêmico aos Estudantes de Graduação (PAAEG). Os conselheiros definiram que a comissão será composta por representantes da Pró-Reitoria Adjunta de Graduação; representantes da coordenação do PAAEG; 1 (titular e suplente) representante docente de cada Centro; 1 (titular e suplente) da ProGrad de cada Campus; 1 representante estudantil (titular e suplente) de cada Campus, que atue ou tenha atuado como tutor(a) no PAAEG ou que seja representante de Centro ou representante no CoG.

Na reunião, iniciou-se o debate sobre a regulamentação do retorno e da oferta das atividades práticas presenciais nos cursos de graduação, aprovadas para a Fase 1 do Plano de Retomada das Atividades Presenciais.

O Grupo de Trabalho Planejamento (GT – Planejamento) apresentou as diretrizes para a regulamentação do retorno e da oferta das atividades práticas de modo presencial nos cursos de graduação. O documento sugere que podem ser realizadas atividades de natureza prática, de natureza mista (teórico-prática) e atividades de natureza mista cuja parte teórica já foi ofertada nos períodos do Ensino Não Presencial Emergencial (ENPE) e nas quais foi atribuído o conceito I a estudantes.

A partir destas diretrizes e das que foram propostas no documento a ser deliberado, caberá aos colegiados de curso, alinhados com os departamentos, planejar e organizar quais atividades curriculares serão demandadas aos departamentos e coordenações acadêmicas.

Devido à extensão da pauta, a avaliação e deliberação da proposta e do calendário suplementar e do acadêmico para o ano letivo de 2022 serão debatidas na segunda sessão da reunião a ser realizada nesta sexta-feira, às 8h30, com transmissão ao vivo no canal UFSCar Oficial no YouTube. Acompanhe!

Arquivado em Conselhos, Graduação

Vencendo a Covid-19 – Fase 1: ConsUni define detalhamento da Fase 1 de retomada das atividades presenciais

Logo Vencendo a Covid-19

Fase 1 do Planto de Retomada já está em vigor (Arte: CCS/UFSCar)

O Conselho Universitário (ConsUni) da UFSCar debateu e aprovou na última sexta-feira (26/11) o detalhamento da Fase 1 do Plano de Retomada das Atividades Presenciais (Resolução ConsUni nº 52). Com isso, a Fase 1 já está em vigor, permitindo a realização presencial de atividades de ensino prático – incluindo todos os tipos de estágio e práticas profissionais – e atividades de pesquisa em laboratório sem a participação de pessoas sem vínculo direto com a UFSCar. O documento aprovado, que contempla as atividades da Fase 1 e as medidas de biossegurança a serem adotadas, está disponível na página da Secretaria dos Órgãos Colegiados (SOC).

As diretrizes aprovadas indicam as medidas gerais de biossegurança, de vigilância epidemiológica e os procedimentos para os planos de contingência. Com base na proposta original, apresentada pelo Comitê Gestor da Pandemia (CGP), e nas sugestões colocadas na reunião do ConsUni que aprovou o avanço para a Fase 1, a Administração Superior da Universidade trabalhou na construção de uma proposta alternativa, a partir também de consultas ao Núcleo Executivo de Vigilância em Saúde (NEVS) e a outras universidades federais.

Assim, por exemplo, incluiu-se no item sobre o uso obrigatório de máscara os modelos KN95 e cirúrgica, além das já aprovadas N95 e PFF2, bem como registrou-se o compromisso da Universidade em garantir o fornecimento, pelo menos da máscara cirúrgica, para as atividades presenciais de ensino de graduação.

Outro ponto alterado, a partir do debate e da consulta às demais universidades, foi o da exigência de quarentena a pesquisadores, estudantes e palestrantes de outros países, ficando válido o cumprimento dos protocolos estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), conforme o país de origem do visitante.

Em nova mensagem à Comunidade UFSCar, a Reitora, Ana Beatriz de Oliveira, fala sobre a importância do envolvimento na construção das soluções, bem como na responsabilidade de cada um para que o plano seja executado com sucesso, preservando a segurança e a saúde física e mental de todas as pessoas. Assista aqui.

Com a Fase 1, passam a ser adotados novos procedimentos para os planos de contingência, que serão padronizados por ambientes (e não mais por atividades). A Comissão de Retorno dos Espaços Físicos da UFSCar, com a colaboração dos servidores envolvidos nas atividades presenciais, irá elaborar os planos para cada ambiente, que serão encaminhados aos responsáveis, como coordenadores de laboratórios, chefias de departamentos, diretores de centro e coordenadores de cursos.

Para elaborar e distribuir os planos, a Comissão já iniciou visitas presenciais aos espaços, para definir como será a sua adaptação e o fluxo para garantir a ventilação, o distanciamento físico e a aplicação das medidas de higiene e biossegurança. O grupo já visitou os campi Sorocaba, Araras e Lagoa do Sino e, nesta semana, realiza visitas em São Carlos.

Todas as medidas aprovadas estão no documento disponível na página da SOC e serão detalhadas em comunicados ao longo das próximas semanas. Nesta terça-feira, 30/11, a Vice-Reitora, Maria de Jesus Dutra dos Reis, e a Secretária Geral de Espaços Físicos, Luciana Márcia Gonçalves, participam do programa Na Pauta, transmitido a partir das 14h15 nos canais UFSCar Oficial no Facebook e YouTube, para apresentar em detalhes as diretrizes da Fase 1, especialmente aquelas relacionadas à organização dos espaços físicos. Toda a comunidade universitária está convidada a assistir e participar.

Arquivado em Conselhos, COVID-19

CoG aprova reserva de vaga para pessoas com deficiência em todos os cursos de graduação

Imagem de reunião do Conselho de Graduação

Proposta foi aprovada por unanimidade  (Reprodução)

Considerando a legislação nacional e internacional sobre os direitos das pessoas com deficiência, o Conselho de Graduação (CoG), em reunião extraordinária realizada no dia 18 de novembro de 2021, aprovou por unanimidade a proposta de retomada do percentual de reserva de vagas para pessoas com deficiência, conforme previsto na Lei nº 13.409/2016.

Com base nos resultados do Censo Demográfico 2010 para o Estado de São Paulo, a decisão do CoG reconsidera a distribuição do percentual de 22,6% para essa população no conjunto das vagas reservadas aos demais estudantes advindos de escolas públicas (pretos, pardos e indígenas). Com esse percentual, será possível ampliar a reserva de vagas para pessoas com deficiência, abarcando todos os cursos de graduação presenciais e a distância da Universidade.

Leonardo Santos Amâncio Cabral, docente do Curso de Licenciatura em Educação Especial (CLEEsp) e um dos responsáveis pela Coordenadoria de Inclusão e Direitos Humanos (CoIDH/SAADE/UFSCar), explica que, em 2018, o sistema de reserva de vagas da UFSCar já considerava esse percentual para o ingresso de pessoas com deficiências. Em 2019, contudo, mediante a Portaria nº 1.117 de 1º de Novembro de 2018, do Ministério da Educação (MEC), a Universidade passou a utilizar o conceito da Linha de Corte de Washington, o que reduziu o percentual de reserva de vagas para 7,3%.

Com aquela decisão, a oferta de vagas para pessoas com deficiência caiu de 326 para 66 de 2018 para 2019, não sendo mais possível ofertar vagas em todos os cursos. Assim, o direito de ingresso de pessoas com deficiência na Educação Superior, via política de ações afirmativas, sofreu, em diferentes dimensões, impactos preocupantes. Confira o documento apresentado no CoG que explica em detalhes as diferenças entre os dois modelos de sistema de reserva de vagas.

“Esse é um momento muito importante para a UFSCar, pois essa aprovação permitiu à UFSCar usar da autonomia universitária para garantir os direitos já conquistados das pessoas com deficiência de terem a oportunidade de escolher, de fato, o curso de graduação que desejam. A retomada para os percentuais de reserva previstos na lei, fruto de um esforço coletivo que contou com o forte empenho da Pró-Reitoria de Graduação, da Secretaria Geral de Ações Afirmativas, Diversidade e Equidade (SAADE), do Grupo de Trabalho Interdisciplinar de Acessibilidade (GTI-Acessibilidade) e da Coordenadora de Ingresso de Graduação (CIG), é um avanço no que diz respeito à inclusão e equidade no acesso à Educação”, destacou o Pró-Reitor de Graduação, Daniel Leiva.

Com a aprovação do retorno à adesão da Lei nº 13.409 para a reserva de vagas para pessoas com deficiência, a UFSCar passa a ofertar, a partir de 2022, via Sistema de Seleção Unificada (SiSU), ao menos uma vaga para candidatos com deficiência em cada curso de graduação presencial e a distância, sem alterar a obrigatoriedade dos 50% de vagas para candidatos oriundos de escolas públicas.

A Pró-Reitora Adjunta de Graduação, Luciana Cristina Salvatti Coutinho, destaca que, tão importante quanto ampliar o acesso à Universidade, é oferecer os meios para os estudantes com deficiência permanecerem nos cursos e contarem com ferramentas adequadas para que possam realizar suas atividades. Nesse sentido, o Portal Acessibilidade da UFSCar disponibiliza aos docentes, estudantes e técnico-administrativos informações, orientações, recursos e suportes para o desenvolvimento de atividades de ensino, pesquisa, extensão e gestão.

Arquivado em Conselhos

ConsUni aprova avanço para a Fase 1 do Plano de Retomada das Atividades Presenciais

Logo Vencendo a Covid-19

Fase 1 permite a realização presencial de atividades práticas de ensino e de pesquisa em laboratório (Arte: CCS/UFSCar)

O Conselho Universitário (ConsUni) da UFSCar aprovou na última sexta-feira (19/11) o avanço para a Fase 1 do Plano de Retomada das Atividades Presenciais (Resolução ConsUni nº 52).

Na Fase 1, podem ser realizadas presencialmente atividades de ensino prático – incluindo todos os tipos de estágio e práticas profissionais – e atividades de pesquisa em laboratório, sem participação de pessoas sem vínculo direto com a UFSCar.  Assista a menagem da Reitora, Ana Beatriz de Oliveira sobre um panorama geral da mudança de fase.

Os detalhes da operacionalização da Fase 1 serão deliberados na próxima sexta-feira (26/11), em nova reunião do ConsUni (a partir das 9 horas, com transmissão no canal UFSCar Oficial no YouTube), uma vez que o debate se estendeu na primeira reunião e não houve tempo hábil para conclusão dos trabalhos. O documento com os detalhes da operacionalização da Fase 1 está disponível na página da Secretaria dos Órgãos Colegiados (SOC).

Com o avanço para a Fase 1, válido a partir da aprovação dos detalhes de sua operacionalização, estará autorizado o retorno à atuação presencial de estudantes e servidores (docentes e/ou técnicos-administrativos) envolvidos na preparação, organização e ofertas das atividades permitidas nessa fase. Deverão ser observadas as condições discriminadas no Guia de Vigilância Epidemiológica vigente (relativas a idade, risco para Covid-19 grave e vacinação) e conforme as definições de biossegurança a serem acordadas na próxima reunião do ConsUni.

As quase 800 atividades presenciais aprovadas para realização durante a Fase 0 seguem autorizadas, conforme os planos de contingência previstos. As demais atividades da Universidade estão previstas para as próximas fases (2 a 5) e podem ser conferidas no Plano de Retomada das Atividades Presenciais, disponível na página do Vencendo a Covid-19.

A mudança para a Fase 1 viabiliza a oferta do Calendário Acadêmico Suplementar com início em 31 de janeiro de 2022 e término em abril de 2022. Estão aprovadas, segundo o Plano de Retomada, todas as atividades práticas; a definição de quais serão ofertadas e das condições de matrícula deve se dar no âmbito do Conselho de Graduação (CoG), no diálogo com coordenações de cursos, chefias de departamentos e diretorias de centro, em reunião programada para a última semana deste mês, em data ainda a ser definida e divulgada.

O ENPE 4, com o calendário já aprovado, segue no formato remoto planejado até o seu término, em 30 de abril de 2022. O calendário acadêmico de 2022 já está em debate e a expectativa é que ele inicie no final de maio de 2022 no formato presencial, conforme a Lei 14.218 do Ministério da Educação (MEC).

Para a operacionalização da Fase 1 foram propostos novos procedimentos para os planos de contingência, de forma que sejam padronizados por tipos de ambientes (e não mais por atividades). As diretrizes serão deliberadas na próxima reunião do ConsUni.

Toda a estratégia de retorno às atividades presenciais da UFSCar está apoiada em um sistema que prioriza a Vigilância Epidemiológica Ativa e Participativa, para que seja possível o controle interno da transmissão e, com isso, o retorno às atividades presenciais com segurança. Portanto, a adesão ao aplicativo Guardiões da Saúde (GdS), para o acompanhamento do estado de saúde das pessoas que circulam nos campi, é fundamental para amplitude e eficiência dos processos de identificação, testagem e contenção de focos de transmissão. É o fortalecimento dessas medidas que nos possibilitará avançar para as próximas fases.

Contamos com a colaboração de toda a comunidade UFSCar, e aproveitamos a ocasião para reiterar que temos participado, no âmbito da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), de reuniões que buscam convergência do processo de retomada das atividades, e, assim, os procedimentos na UFSCar são muito semelhante àqueles em curso na maior parte das IFES. O cenário predominante contempla o retorno das atividades presenciais de pesquisa e aulas práticas no segundo semestre do ano letivo de 2021 – que terá início na UFSCar no dia 16 de janeiro de 2022.

Novas informações serão divulgadas tão logo haja a deliberação do ConsUni e quaisquer outros detalhamentos e/ou mudanças nas ações previstas. Nesta terça-feira (23/11), a partir das 14h15, a Vice-Reitora da UFSCar, Maria de Jesus Dutra dos Reis, estará na live semanal Na Pauta para comentar a passagem para a Fase 1.

Arquivado em Conselhos, COVID-19