UFSCar foi convidada para lançamento do Submarino Riachuelo

A UFSCar, como parceira da Marinha do Brasil, foi convidada para o lançamento. Fotos: arquivo pessoal. Texto: Stela Martins (AECR/UFSCar)

Na sexta-feira, dia 14 de dezembro, a Reitora Wanda Hoffmann participou, a convite da Marinha do Brasil, da Cerimônia de Lançamento do Submarino Riachuelo, o primeiro submarino diesel-elétrico classe Scorpène (Riachuelo-classe, S-BR) adquirido no âmbito do Acordo de Transferência de Tecnologia Brasil-França. O acordo prevê, no Programa de Desenvolvimento de Submarinos, a transferência de tecnologia para projetar quatro submarinos diesel-elétricos e o sistema de plataforma de um submarino com propulsão nuclear, permitindo que o Brasil tenha condições de construir submarinos. No planejamento atual, o submarino Humaitá, segundo construído no Brasil, será lançado ao mar em 2020; o Tonelero, em 2021; o submarino Angostura, em 2022; e, por último, o submarino com propulsão nuclear, batizado de Álvaro Alberto, em homenagem ao Almirante brasileiro que foi o protagonista no uso da tecnologia nuclear no País, em 2029.
Riachuelo, nome do submarino lançado agora, é uma alusão à Batalha Naval do Riachuelo, considerada decisiva na Guerra do Paraguai (1864-1870). A parte nuclear do quinto submarino será 100% desenvolvida pela Marinha do Brasil em parceria e através de convênios, por exemplo, com a UFSCar. “Nós temos participação junto à Marinha em alguns projetos. E o mais recente é voltado a esse submarino nuclear. A UFSCar é membro do Comitê de Desenvolvimento do Programa Nuclear Brasileiro que tem, por usa vez, grupos técnicos de trabalho para identificar ações e políticas na área nuclear”, contou Wanda Hoffmann.
O lançamento aconteceu no Porto de Itaguaí (RJ), onde a Marinha Brasileira montou uma grande estrutura para a aplicação do Programa de Desenvolvimento de Submarinos. São 540 mil m², com fábrica de produção de peças, estaleiro para montagem e manutenção das embarcações e base naval onde fica o comando das operações. “A infraestrutura está muito bem montada, muito adequada. O elevador, por exemplo, é capaz de colocar em mar quatro submarinos como o Riachuelo. Fiquei surpresa em ver o quanto o Brasil conseguiu avançar nessa área e identifiquei aspectos notáveis que irão beneficiar o desenvolvimento tecnológico do País”, disse também a Reitora.

Deixe um comentário

Arquivado em Eventos, Pesquisa